quarta-feira, 12 de novembro de 2014


10 empregos bizarros que não existem mais


Com os rápidos avanços da tecnologia moderna, mais empregos e novas oportunidades começaram a aparecer – coisa que antes era imaginada em filmes de ficção científica. No entanto, à medida que evoluímos, muitos postos de trabalho – que muitas pessoas nunca imaginavam que deixaria de existir – estão desaparecendo. Abaixo separamos para você uma lista com 10 empregos “bizarros” que não existem mais ou que deram lugar a novas oportunidades. Veja:

Leitor Profissional

01
Esse Job era bastante comum, onde as empresas contratavam pessoas para ler em grandes salas de fábricas onde centenas de trabalhadores eram “escravizados” em tarefas repetitivas por horas a fio.
A função dos Leitores Profissionais era de entreter os trabalhadores da fábrica, lendo livros, notícias, e até cantando!Sim, por mais que pareça algo surreal , isso era bastante comum em uma época que não existia Rádio, iPhone, iPod, Podcast, Computador e outras “distrações” que costumamos usar durante o nosso trabalho. Além de que, os tempos mudaram, e hoje a carga de trabalho é bem menor e muitos nem precisam dessas “pequenas distrações”.









Repositores de Bola de Boliche

02
Após o jogador fazer a sua jogada, a função dos repositores era de reconfigurar os pinos para a próxima jogada. E esse serviço era feito normalmente por rapazes e crianças que trabalham por uma mixaria. Com a evolução das MÁQUINAS eles foram substituídos, e atualmente a cena que conseguimos enxergar no final da pista é bem menos assustadora.

Calculadoras Humanas

03
Nesse Job as pessoas exerciam uma função parecida com a de um computador nos tempos atuais. Sim, antes de existirem computadores e calculadoras, as pessoas eram responsáveis pelos cálculos matemáticos das empresas. Um serviço feito normalmente pelas mulheres na época.

Leiteiro

04
Esse é um emprego que deixou de existir em 80% dos países, mas que ainda existe em alguns lugares, inclusive do Brasil. O Leiteiro é o responsável por levar leite fresco até a porta das pessoas.  E geralmente – isso nos outros países – quem exercia esse tipo de trabalho eram homens jovens, charmosos e aparentemente sempre bonitos e bem vestidos.

Despertador de Pessoas

05
Sim, em uma época em que os famosos despertadores ainda não existiam, algumas pessoas eram contratadas para garantir que outras pessoas iria acordar no horário certo para seus trabalhos, usando longos cabos de madeiras, pedras, e outras coisas para acordar as pessoas batendo nas janelas!

“Escutadores” de Avião

06
A tradução não ajuda muito nesse Job, mas antes do radar e outros equipamentos avançados existirem, os soldados usavam espelhos acústicos e vários dispositivos de escuta para ouvir aviões inimigos se aproximando.

Acendedor de Postes

07
Usando varetas ou escadas longas, os Acendedores de Lâmpadas – os famosos lamplighters – acendiam, apagavam e reabasteciam as lâmpadas nas ruas das cidades. A eletricidade e a tecnologia acabou com esse emprego, hoje este trabalho ficou por conta de fotossensores.

As responsáveis por te dar linha

08
Quando os telefones estavam trilhando os seus primeiros anos, o operador mudava manualmente as chamadas usando um par de plugs de telefone inseridos nas tomadas adequadas para cada lado da linha. Geralmente quem trabalhava nessa área eram mulheres jovens, com grande capacidade de comunicação .

Ladrões de Corpos

09
Antigamente as Universidades também precisavam de cadáveres para fins educativos, porém … bem, na época, consegui-los legalmente era muito mais difícil e mais caro do que hoje. Então, eles criaram um cargo para roubar corpos nos cemitérios.  caras roubaram corpos.

O Willian Bonner das Antigas

10
Quando tinham uma notícia importante para dar, esses caras ficavam nas esquinas e praças “gritando” as tais notícias. As mensagens eram transmitidas por cavalheiros como na foto acima, com grandes vozes.
fonte:http://mundopocket.com.br/10-empregos-bizarros-que-nao-existem-mais/
Postar um comentário

SERÁ QUE OS OVOS DE CASCA ESCURA SÃO MAIS SAUDÁVEIS DO QUE OS BRANCOS? A ideia de "não julgar um livro pela sua capa" pode func...