domingo, 14 de setembro de 2014

As mortes mais insanas da história


Hoje listamos algumas mortes que a primeira vista parecem mentira, mas o imprevisto e a insanidade entram em ação e mostram mais uma vez que o mundo está alem do que podemos chamar de normal, confira a primeira coletânea de mortes esquisitas.



 Mordendo a língua
Allan Pinkerton, foi um detetive e espião Escocês  muito conhecido por criar a agência Pinkerton de detetives, a primeira do tipo criada nos Estados Unidos. Em junho de 1884, Pinkerton escorregou em uma calçada e mordeu a sua língua na queda. A língua infeccionou e ele morreu de gangrena. Na época da sua morte, ele estava trabalhando em um sistema de identificação de criminosos que agora é controlado pelo FBI.

 Vitória mortal
No ano de 1923, Frank Hayes sofreu um ataque cardíaco fatal, no meio de uma corrida de obstáculos em Belmont Park, Nova York.  Hayes era umtreinador de cavalos por profissão e não um jóquei, ele nunca havia competido profissionalmente.
Ao montar no cavalo chamado Sweet Kiss, Frank Hayes faleceu pouco antes de cruzar a linha de chegada da corrida. Isto significa que a única corrida que ele ganhou profissionalmente aconteceu depois que ele estava morto,  Hayes ficou conhecido como a única pessoa a terminar e vencer uma corrida depois de morto!

Colírio fatal
Tennessee Williams, foi um dramaturgo muito famosos dos Estados Unidos. Ele ganhou vários prêmios importantes por suas obras. Você pode até conhecer alguns de seus trabalhos: “Gata em teto de zinco quente”, que chegou a ser adaptado para o cinema, e “Um Bonde chamado desejo”.  
Williams sofria de depressão e temia ficar louco, ele chegou ser hospitalizado em uma clinica psiquiátrica em meados de 1969, após um colapso nervoso grave. Ele nunca perdoou seu irmão mais novo Dakin por ter permitido ser que ele fosse internado em um hospício. 
No ano 1983, Williams, que estava sob o efeito de drogas, tentou abrir uma embalagem de colírio com a boca. Normalmente ele segurava a tampinha da garrafa na boca enquanto pingava as gotas nos olhos, mas nessa vez ele engoliu a tampa, engasgou e morreu asfixiado.

Bobby e a casca de laranja
Bobby Leach,  foi um dublê de circo de Cornwell, Inglaterra. Leach não tinha medo de desafiar a morte, no ano de 1911,  ele foi o primeiro homem a sobreviver depois de pular dentro das cataratas do Niágara dentro de um tambor. Ele sofreu algumas lesões, quebrou os 2 joelhos, a mandíbula e precisou de 6 meses para se recuperar.
Em abril de 1926, em Christchurch, Nova Zelândia, Leach escorregou em uma casca de laranja durante uma caminhada e quebrou seu pé que acabou infeccionado e teve que ser amputada.  Apesar da amputação, Leach morreu dois meses mais tarde no hospital.

 Defesa de causa extrema
Após a Guerra Civil, o controverso político Clement Vallandigham de Ohio, se tornou um advogado bem sucedido que dificilmente perdia uma causa. Em 1871, defendeu Thomas McGehan que foi acusado de disparar em Tom Myers em seu quarto. A defesa de Vallandigham era que Myers tinha disparado acidentalmente ao colocar sua pistola numa posição para ajoelhar-se. Para convencer o júri, Vallandigham decidiu demonstrar sua teoria na prática. Infelizmente, agarrou um revólver carregado e terminou por disparar nele mesmo.

fonte:http://www.insanidadeshumanas.com.br/2014/05/top-5-mortes-insanas-1.html
Postar um comentário

TALVEZ DESCONHEÇA SOBRE OS BURACOS NEGROS 1 – Eles não foram descobertos por Einstein Apesar de muita gente associar a descoberta dos ...