terça-feira, 6 de maio de 2014

10 invenções surpreendentes dos gregos


Quando falamos das contribuições da Grécia Antiga para o mundo moderno, somos obrigados a citar a democracia, os jogos olímpicos, a mitologia, a filosofia, a arquitetura, o teatro, entre outras tantas. Não é nenhum segredo que a Grécia, apesar de ser um pequeno ponto no mapa,  é amplamente considerada como a mãe da civilização ocidental. Quase tudo relacionado à cultura do Ocidente nasceu lá, contudo, há muito mais invenções associadas aos gregos do que a maioria das pessoas imagina. Com esta lista, queremos não só esclarecer, mas de certa maneira surpreender, mostrando como algumas invenções consideradas modernas, tem suas origens  na Grécia Antiga.


10 – Faróis
Farol de Alexandria
Durante o século 3 a.C, os gregos construíram em Alexandria, um farol para guiar com segurança os navios ao porto da cidade. Alexandria, localizada no Egito, estava sob o controle da Grécia naquela época, seu nome é uma homenagem a Alexandre, o Grande. À noite, era aceso um fogo enorme dentro da torre do farol; os capitães de navio podia vê-lo de longas distâncias no mar, dando-lhes uma ideia clara de para onde estavam indo. Durante o dia, uma grande nuvem de fumaça do fogo extinto, fornecia a mesma orientação. Esse farol foi projetado pelo arquiteto e engenheiro grego Sóstrato de Cnido. O farol de Alexandria é considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, ele foi o primeiro farol conhecido no mundo e permaneceu em operação  por mais de 1.500 anos.


9 – Portas automáticas
Porta automática
As portas automáticas foram inventadas na Grécia antiga para ajudar a sociedade politeísta. Como havia muitos deuses na Grécia, os sacerdotes e outras figuras religiosas de cada divindade tinham que manter o interesse das massas, garantindo assim, o fluxo de ofertas ao deus que serviam ( ou seria o deus que lhes servia? ). Para isso, eles criaram portas automáticas que eram colocadas dentro do altar, no lugar de adoração. Quando uma pessoa fazia uma oferta a um dos deuses, as portas do altar se abriam, graças a uma espécie de caldeira dentro dele. Esse mesmo recurso era usado para mover as estátuas do templo.
Acredita-se que Heron de Alexandria tenha projetado as primeiras portas automáticas, que funcionavam através de ar comprimido ou da pressão da água. Também existem evidências de que, quando alguém acendesse o fogo dentro do altar, uma chuva fina de água adocicada e aromatizada caía sobre os participantes do evento religioso no templo, enquanto que vários pássaros de metal  cantavam e assobiavam e estátuas se moviam ou voavam. Outras pesquisas tem fornecido evidências de que os sacerdotes podiam controlar a iluminação dentro e fora do templo, bem como produzir um nevoeiro artificial para dar a cerimônia um ar mais misterioso.


8 – Canhão

Você já se perguntou por que os antigos gregos permaneceram invencíveis por centenas de anos? Há  provas concretas de que na Grécia Antiga tenha surgido o primeiro canhão. Nos referimos a um canhão de vapor, projetado e fabricado por Arquimedes durante o cerco de Siracusa. Esta arma  era muito avançada para sua época e disparava balas que pesavam cerca de 26 kg, elas podiam cobrir uma distância de cerca de 1.100 metros. O canhão de Arquimedes é considerado pela maioria dos historiadores como sendo a primeira arma do mundo operada com vapor.


7 – Robôs e máquinas voadoras
Robô Grego
Embora possa parecer loucura, a verdade é que o primeiro robô foi projetado e criado por um matemático grego, também cientista e  general, chamado Arquitas em torno de 400 - 350 a.C.
Arquitas, conhecido como "o pai da engenharia mecânica" foi quem projetou e criou um pombo altamente avançado, feito de madeira, o engenho usava vapor comprimido para fazê-lo funcionar e voar. Em sua busca para aprender como os pássaros voavam, Arquitas decidiu criar o seu próprio pássaro para ajudá-lo a entender melhor as aves que estudava. Seu pássaro era capaz de voar entre 200 ou 300 metros antes de esgotar-se o vapor, um feito único, quando se leva em conta a época em que foi realizado. Apesar do fato de  Arquitas ter criado o pássaro mecânico para uma finalidade específica, ele "acidentalmente" deu ao mundo o primeiro robô e a primeira máquina voadora.


6 – Heliocentrismo

Antes de Copérnico publicar sua descoberta, os astrônomos gregos já haviam percebido que a Terra e o resto dos planetas giravam em torno de um Sol relativamente estacionário no centro do sistema solar. Muitos grandes pensadores e cientistas da Grécia Antiga, como FilolauHeráclides do PontoSeleuco de SelêuciaAristarco de Samos e Hipátia (que, de acordo com uma versão da história, foi assassinada por suas crenças e estudos científicos),  propuseram uma sistema heliocêntrico quase dois mil anos antes de Copérnico. Muitos historiadores e astrônomos acreditam que Aristarco de Samos pode ter sido o primeiro a construir um sistema heliocêntrico científico completo. Infelizmente, o seu trabalho foi perdido no caminhar dos tempos. Baseado em um dos seu ensaios que chegou aos nossos dias, os estudiosos também especulam que Aristarco  provavelmente tenha sido o primeiro cientista a calcular quase precisamente o tamanho da Terra e a mediu o tamanho e distância da Lua e do sol.


5 – Moinho de água
Existem evidências de que os seres humanos tem utilizado os moinhos desde Período Neolítico; mós e pilões feitos de rochas, usados para moer trigo, foram datados como sendo daquela época. No século 16 a.C, a primeira forma de um moinho, conhecido comoquern, foi encontrada onde é hoje a moderna Chipre. Os primeiros indícios de um moinho de água foram achados na roda da Perachora, que se estima ter sido criada durante o terceiro século a.C, na Grécia. Ruínas de moinhos semelhantes aos que usamos hoje, podem ser vistos na Ágora de Atenas, o que faz muitos historiadores cogitar que o uso de moinhos  já estava bem adiantado na Grécia, antes do domínio romano. No entanto, a primeira prova concreta para a existência de um moinho de água vem dos escritos do engenheiro grego Filão de Bizâncio, que menciona em uma de suas obras, as rodas de água usadas em Alexandria, durante o período helenístico. Assim, este invento pode ter sido criado na Grécia entre 250 e 240 a.C.


4 – Torre de relógio e estação meteorológica
Torre dos Ventos
A Torre dos Ventos
Quando as pessoas pensam em torres de relógio, geralmente lhes vem à mente o famoso Big Ben. Quando se trata de estações meteorológicas, a primeira imagem evocada seja normalmente a de um monte de neve, Antártica ou algum solitário dentro de um abrigo repleto de tecnologia incrível e máquinas complicadas  capazes de salvar o mundo de tsunamis gigantes. No entanto, a primeira torre de relógio e a primeira estação meteorológica vieram da ensolarada Atenas. A Torre dos Ventos em Atenas, bem abaixo da Acrópole, foi a primeira torre de relógio e estação meteorológica que se tem notícia. Ela ajudava os comerciantes locais a estimar o tempo de entrega de seus produtos e, ao mesmo tempo, ajudava a proteger a sua carga de condições climáticas extremas. Acredita-se que esta torre tenha sido construída em 47 a.C. Hoje, ela ainda pode ser admirada pelos milhões de turistas que visitam Atenas todos os anos, uma vez que ainda está na antiga Ágora, localizada em um dos mais belos e visitados bairros do mundo: Plaka.


3 – Relógio despertador
O relógio de Platão
O primeiro dispositivo despertador da história também foi uma criação grega. Para ser mais específico, ele veio do grande filósofo Platão, é por isso que é conhecido como "O despertador de Platão”.
Platão inventou um relógio despertador e deu-lhe a forma de uma ampulheta. O recipiente superior, feito de cerâmica, recebia uma quantidade calculada de água, que descia para o próximo vaso através de um funil. Quando o segundo recipiente ficava cheio, no momento programado (por exemplo, depois de 7 horas), através da pipeta axial localizada dentro dele, a água evacuava rapidamente para  próximo recipiente fechado, forçando o ar contido a sair assobiando através de um tubo em sua parte superior. Um ruído irritante o suficiente para acordar uma pessoa. Após isso, o terceiro recipiente se esvaziava lentamente (por meio de um pequeno furo situado na sua parte inferior) em direção ao recipiente de armazenagem inferior, a fim de  que á água fosse  reutilizada.


2 – Aquecimento central
Aquecimento central dos gregos
Mesmo que os romanos levem o crédito pela invenção do aquecimento central, na verdade, também foram os gregos quem inventaram isso. Antes dos romanos criarem osistema hipocausto, os minóicos já colocavam canos sob o chão de suas casas, por onde passava água morna que mantinha as salas e pisos quentes no inverno. Os cidadãos mais ricos, que podiam pagar pela melhor tecnologia, construíam suas casas de modo que o piso de cerâmica fosse apoiado por pilares cilíndricos, criando um espaço sob o piso onde os vapores quentes de um fogo central podiam circular e se espalhar através de condutos nas paredes. Estas invenções foram discutidas em 1900, quando o arqueólogo britânico Arthur Evans desenterrou o Palácio de Knossos, na ilha grega de Creta, e apresentou ao mundo moderno uma das civilizações mais avançadas e completas da história - acivilização minoica.


1 – Chuveiro
Chuveiro grego
Da próxima vez que você tomar um banho quente, agradeça aos gregos antigos. Os romanos podem ser famosos pelos banhos públicos, mas foram os gregos que inventaram os modernos chuveiros. As primeiras casas de banho com chuveiros semelhantes aos que temos hoje, com água que vem através do tubo de uma bomba, foram inventados e amplamente utilizados por atletas da Grécia Antiga. Após o treinamento, geralmente em um Gymnasion  ou em uma Palaestra, os atletas tomavam uma ducha fria nos vestiários, já que a higiene pessoal era muito importante na Grécia Antiga.

Fonte:http://kid-bentinho.blogspot.com.br/2014/04/10-invencoes-surpreendentes-dos-gregos.html
Postar um comentário

MELHORE SUA ATENÇÃO: VEJA 10 ALIMENTOS QUE AJUDAM SEU CÉREBRO A RENDER MAIS Nem sempre nós conseguimos ter hábitos que nos ajudam a mant...