sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

HYBRID AIR PODE REVOLUCIONAR O MERCADO DOS

 VEÍCULOS HÍBRIDOS

É o que o grupo francês PSA, que produz automóveis sob a marca Peugeot e Citroën, pretende fazer com sua nova tecnologia.
5
O Hybrid Air é a aposta da vez. O sistema desenvolvido pelo grupo PSA Peugeot- Citroën terá sua tecnologia apresentada no salão de Genebra no mês que vem.
A novidade combina um motor a combustão interna a um hidráulico. Além disso, conta com cilindro de ar comprimido (responsável pelo funcionamento do motor secundário), um sistema star–stop que utiliza somente o ar para dar a partida, um acumulador de fluído hidráulico e um câmbio automatizado adaptado ao sistema.
O veículo pode operar em três modos diferentes:
Modo ar: ótimo para a cidade. Neste modo é possível dar a partida e rodar em uma velocidade de até 70 km/h apenas utilizando o ar comprimido que alimenta o motor hidráulico.
O recarregamento do cilindro é feito quando o motor a combustão entra em funcionamento ou através da desaceleração do veículo e frenagens que, de acordo com o fabricante, não passa de 10 segundos.
E os números são surpreendentes. Quando se trafega pelas cidades, é possível fazer de 60 a 80% do percurso sem emitir uma molécula de CO² e com uma economia de combustível de 45%.
Modo gasolina: indicado para estradas e rodovias. Funciona exclusivamente com o motor de combustão interna.
Modo combinado: perfeito para arrancadas ou ultrapassagens. Neste caso, o modo é ativado colocando os dois motores em funcionamento, dando mais potência ao veículo.
O protótipo a ser apresentado é do Citroën C3 que vem equipado com um motor 1.2 de três cilindros a gasolina. Ele sozinho é capaz de render 82 cv que somados aos 40 cv extras do motor hidráulico lhe oferece 122cv de potência total.
Além do C3, a PSA quer incorporar o sistema também no Peugeot 208, pois, além de ser mais econômico e de poluir menos do que os híbridos elétricos, seu custo de produção chega a ser 55% mais barato.
A previsão é de que os Hybrid Air sejam lançados na Europa até 2016, com valores de 15 a 30 mil euros (45 a 90 mil reais).
Nós particularmente adoramos a novidade. O preço aqui no Brasil pode ser um pouco salgado, o que não é nenhuma novidade.
Mas neste caso pode valer a pena, não só pela grande economia de combustível, mas principalmente por contribuir pela preservação do meio ambiente.
Quem sabe nosso país não acorda e resolve dar os incentivos necessários para que um dia possamos ter veículos como estes sendo produzidos por aqui.
Postar um comentário

VIDA SUBMARINA SELVAGEM: ROBÔS REGISTRAM “COME-COME”  NO FUNDO DO MAR Apesar de a maior parte dos  oceanos do planeta  continuar inexp...