sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

HYBRID AIR PODE REVOLUCIONAR O MERCADO DOS

 VEÍCULOS HÍBRIDOS

É o que o grupo francês PSA, que produz automóveis sob a marca Peugeot e Citroën, pretende fazer com sua nova tecnologia.
5
O Hybrid Air é a aposta da vez. O sistema desenvolvido pelo grupo PSA Peugeot- Citroën terá sua tecnologia apresentada no salão de Genebra no mês que vem.
A novidade combina um motor a combustão interna a um hidráulico. Além disso, conta com cilindro de ar comprimido (responsável pelo funcionamento do motor secundário), um sistema star–stop que utiliza somente o ar para dar a partida, um acumulador de fluído hidráulico e um câmbio automatizado adaptado ao sistema.
O veículo pode operar em três modos diferentes:
Modo ar: ótimo para a cidade. Neste modo é possível dar a partida e rodar em uma velocidade de até 70 km/h apenas utilizando o ar comprimido que alimenta o motor hidráulico.
O recarregamento do cilindro é feito quando o motor a combustão entra em funcionamento ou através da desaceleração do veículo e frenagens que, de acordo com o fabricante, não passa de 10 segundos.
E os números são surpreendentes. Quando se trafega pelas cidades, é possível fazer de 60 a 80% do percurso sem emitir uma molécula de CO² e com uma economia de combustível de 45%.
Modo gasolina: indicado para estradas e rodovias. Funciona exclusivamente com o motor de combustão interna.
Modo combinado: perfeito para arrancadas ou ultrapassagens. Neste caso, o modo é ativado colocando os dois motores em funcionamento, dando mais potência ao veículo.
O protótipo a ser apresentado é do Citroën C3 que vem equipado com um motor 1.2 de três cilindros a gasolina. Ele sozinho é capaz de render 82 cv que somados aos 40 cv extras do motor hidráulico lhe oferece 122cv de potência total.
Além do C3, a PSA quer incorporar o sistema também no Peugeot 208, pois, além de ser mais econômico e de poluir menos do que os híbridos elétricos, seu custo de produção chega a ser 55% mais barato.
A previsão é de que os Hybrid Air sejam lançados na Europa até 2016, com valores de 15 a 30 mil euros (45 a 90 mil reais).
Nós particularmente adoramos a novidade. O preço aqui no Brasil pode ser um pouco salgado, o que não é nenhuma novidade.
Mas neste caso pode valer a pena, não só pela grande economia de combustível, mas principalmente por contribuir pela preservação do meio ambiente.
Quem sabe nosso país não acorda e resolve dar os incentivos necessários para que um dia possamos ter veículos como estes sendo produzidos por aqui.
Postar um comentário

SERÁ QUE OS OVOS DE CASCA ESCURA SÃO MAIS SAUDÁVEIS DO QUE OS BRANCOS? A ideia de "não julgar um livro pela sua capa" pode func...