segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Dez grandes perdas do cinema brasileiro em 2013

Fim de ano, época em que revisamos todos os pontos positivos e negativos dos últimos doze meses também é tempo de lembrar aqueles que nos deixaram. Dentre tantos técnicos, atores, atrizes, cineastas, etc, que deixaram saudades no cinema brasileiro, o BRCine selecionou dez nomes para usarmos nesta pequena homenagem.
Walmor Chagas – 18/01
Walmor ChagasO ano começou com a triste notícia do suicídio de Walmor Chagas, aos 82 anos, eternizado em nossa cinematografia como o empresário Carlos de São Paulo S/A (1965), de Luiz Sérgio Person. O Ator estrelou mais de 20 filmes, o último deles é o belo A Coleção Invisível, de Bernard Attal, lançado neste ano.
Zózimo Bulbul – 24/01
Zózimo BulbulPrimeiro negro a protagonizar uma novela no Brasil, Zózimo Bulbul teve um importante papel na busca por retratar os afrodescendentes na cultura nacional. Participante do CPC da UNE, o ator estreou no cinema em 1962, no coletivo Cinco Vezes Favela, e em 1974 dirigiu seu primeiro filme, o curta Alma no Olho. Zózimo morreu de câncer aos 75 anos.
Cleyde Yáconis – 15/04
Cleyde YáconisApesar de ter se dedicado principalmente ao teatro e à televisão, Cleyde Yáconis também merece ser lembrada por seu trabalho no cinema, que começou em 1954 com Na Senda do Crime, de Flaminio Bollini Cerri. Cunhada de Walmor Chagas, a atriz teve a saúde debilitada após o suicídio dele, morrendo meses depois aos 89 anos.
Sebastião Vasconcelos – 15/06
Sebastião VasconcelosTambém conhecido mais na televisão, Sebastião Vasconcelos realizou poucos trabalhos no cinema nos seus 86 anos, mas com atuações marcantes, como em Inocência, de Walter Lima Jr., de 1983. No papel de Martinho Pereira, ele levou então o prêmio de melhor ator do ano no Festival de Brasília.
Cláudio Cavalcanti – 29/09
Cláudio CavalcantiMorto aos 73 anos após uma cirurgia de coluna, Cláudio Cavalcanti teve uma trabalho representativo no cinema, com mais de 20 filme, o último deles Astro, Uma Fábula Urbana em um Rio de Janeiro Mágico(2012), de Paula Trabulsi. O ator chegou a participar inclusive de filmes da pornochanchada, como o clássico Contos Eróticos.
Ênio Gonçalves – 05/10
Ênio GonçalvesCom mais de 40 filmes em seu currículo desde sua estreia em 1964, com Sangue na Madrugada, de Jacy Campos, Ênio Gonçalves foi um importante nome do cinema. Na última semana de vida, aos 75 anos, o ator chegou a pedir alta no hospital onde estava para poder filmar um curta-metragem.
Norma Bengell – 09/10
Norma BengellProtagonista do primeiro nu frontal do cinema brasileiro em Os Cafajestes (1962), de Ruy Guerra, Norma Bengell teve uma carreira recheada de polêmicas. Uma das maiores, no entanto, contribuiu para a depreciação de sua saúde. Morta de câncer aos 78 anos, a atriz de mais de 60 filmes sofreu desde que foi envolvida em um suposto esquema de corrupção.
Jorge Dória – 06/11
Jorge DóriaCom 65 anos de carreira nos cinemas, Jorge Dória não apenas atuou em diversos filmes, como chegou a produzir e mesmo trabalhar no roteiro em mais de dez longas. Ele foi, por exemplo, o roteirista da primeira versão de Bonitinha, Mas Ordinária, dirigido por Billy Davis em 1963. O ator, que morreu aos 92 anos, atuou pela última vez em O Homem do Ano, de José Henrique Fonseca.
Glauco Mirko Laurelli – 11/12
Glauco Mirko LaurelliTrabalhando como um faz tudo no cinema em seus 83 anos, Glauco Mirko Laurelli atuou em diversas áreas técnicas na sétima arte, começando a trabalhar nos anos 50 como assistente de coreografia. Como diretor, teve reconhecimento principalmente com o clássico A Moreninha (1970), além de dirigir quatro filmes de Mazzaropi.
Haroldo Marinho Barbosa – 19/12
Haroldo Marinho BarbosaO diretor de filmes como o clássico Engraçadinha (1981), com Lucélia Santos, nos deixou recentemente aos 69 anos após sofrer uma queda em sua casa em Petrópolis (RJ). Seu último filme como diretor foi Baixo Gávea (1986). Como roteirista, trabalhou em filmes como O Vestido (2003), de Paulo Thiago, adaptado de um poema de Carlos Drummond de Andrade.
Postar um comentário

SERÁ QUE OS OVOS DE CASCA ESCURA SÃO MAIS SAUDÁVEIS DO QUE OS BRANCOS? A ideia de "não julgar um livro pela sua capa" pode func...