terça-feira, 3 de setembro de 2013

Você já comeu insetos hoje? não? tem certeza?


cochonilhaQuem já experimentou sorvetes, pudins, iogurtes, bolachas, bolos, geléias, gomas de mascar, sucos, licores e demais delícias industrializadas de cor rosa ou vermelha, entre outras coisas já comeu também cochonilha, um pigmento de vermelho intenso feito com Dactylopius Coccus, um inseto mexicano.
Vigor Iogurte Líquido Morango. Contém o corante natural carmim de cochonilha.
Batavo Iogurte Grego Morango Líquido. Contém o corante natural carmim de cochonilha.
Nestlé Iogurte Grego com Morango. A calda (separada) contém corantes (urucum e carmim cochonilla).
Estes são apenas 3 exemplos você pode pesquisar na net que encontrara muitos outros.
São necessários cerca de 70.000 insetos esmagados e fervidos para produzir apenas 450 gramas deste corante. Bilhões de insetos são criados e destruídos todos os anos apenas para dar cor a biscoitos e leites de soja sabor morango, gelados de frutas vermelhas, etc. O Corante Cochonilha é utilizado também em tintas, corantes para roupas, cosméticos (xampus, batons, sombras). Seu consumo pode provocar reações alérgicas às pessoas.
Para quem tem uma alimentação vegetariana deve ser complicado ir ao Supermercado e encontrar esse corante feito, literalmente, de insetos esmagados presente em diversos doces, biscoitos, sucos, cereais e laticínios. Tudo graças ao fato de que ele é classificado como “corante natural”.

Cochonilha

  

Nome estranho esse! Mas muita gente come todos os dias e nem sabe. Sinônimo de corante carmim, essa substância está presente em vários alimentos industrializados. Até aí tudo bem, não fosse pela sua procedência.
O corante carmim ou cochonilha, que é usado em vários produtos alimentícios para conferir ao produto uma cor próxima ao vermelho, é obtido a partir da maceração de uma espécie de inseto chamada Dactylopius coccus. O produto final é um pó avermelhado, muito estável ao calor, à oxidação e a variações de acidez (pH), características muito interessantes à indústria de alimentos.

São necessárias 70 mil fêmeas desse inseto para se obter meio quilo de corante. A partir daí, dá para ter uma ideia de quantos insetos são usados para abastecer a indústria alimentícia e fabricar uma variedade de iogurtes, biscoitos, geleias, sorvetes, sucos, doces, bebidas alcoólicas, etc. A cochonilha também faz parte da composição de medicamento e de cosméticos. Então esse número deve ser mesmo bem grande!
Iogurte e sorvete de morango, bolacha recheada de chocolate, suco artificial de goiaba e gelatina de uva são alguns exemplos de produtos que têm cochonilha na sua composição. Mas, como adoro ler rótulo, já vi esse corante em suco artificial de laranja, que teoricamente é amarelo-alaranjado. Quer ter certeza? Leia sempre os rótulos!

Fica então uma sugestão de reflexão. O corante carmim de cochonilha é utilizado basicamente em produtos alimentícios totalmente dispensáveis à nossa alimentação. Assim, reduzindo o consumo dos mesmos, podemos ter dois grandes benefícios: demanda por menor quantidade de insetos mortos e mais saúde – pois estou partindo da premissa que esses alimentos serão substituídos por outros mais naturais e mais nutritivos, que engordam menos e que têm menos quantidade de sal, açúcar e gordura saturada e trans.
Postar um comentário

TALVEZ DESCONHEÇA SOBRE OS BURACOS NEGROS 1 – Eles não foram descobertos por Einstein Apesar de muita gente associar a descoberta dos ...