quinta-feira, 4 de abril de 2013



OS SEIS PRATOS MAIS SÁDICOS DE TODO O MUNDO




A maioria de nós ama um bom e suculento bife ou um belo frango assado né? E não é nenhum segredo que a vida de um animal indo para o matadouro não é de sorrisos e canções felizes. Isso é fato.

Mas vai que você se depara com uma comida que requer que o animal não esteja morto, mas que seja torturado de uma maneira terrível e diabólica bem no seu prato. Abaixo estão os exemplos que provam que, para alguns, a crueldade pode ser deliciosa.

ATENÇÃO: Algumas imagens perturbadoras, particularmente em # 1.


# 6.Ikizukuri



ikizukuri

Origem:

Japão

O que há de tão ruim nisso?

Imagine que você está no Japão. Você quer aproveitar a viajem e experimentar a cozinha japonesa autêntica. Aviso: Esta pá de madeira com a imagem da Hello Kitty, não tem nada a ver com esta matéria. Ignore-a.



Você vai a um restaurante de sushi, e na hora do pedido, a primeira coisa que soar apetitoso é o que você vai pedir. Logo você vê uma confusão de sílabas japonesas que parece ser deliciosa: "Ikizukuri". Você pede. E só então, uma cena de horror indescritível se revela diante de seus olhos aterrorizados. O cozinheiro pega um peixe em um tanque e começa a corta-lo enquanto ele se contorce na placa de corte bem na sua frente. Em seguida, ele joga no seu prato, o peixe ainda se debatendo.

Espere, o que?

"Ikizukuri" significa literalmente "preparado vivo". E cumpre tudo o que o nome sugere e afirma explicitamente:


Você ainda pode escolher o seu próprio peixe para matar. O chef vai usar habilidades quase psicopatas para retirar parcialmente os intestinos em meros segundos e servi-lo pra você. O truque aqui? Ele deve cortar o peixe sem mata-lo. Com seu coração exposto e batendo, guelras ainda trabalhando, tentando respirar e tendo os últimos segundos de dor cheio de consciência, olhando para você e morrendo  lentamente. Querendo falar em tom de desmaio... " Porque.... porque... ", o peixe está pronto para comer.

Foto: Um experiente chef Ikizukuri .

Fica pior:

Muitas vezes, o chef junta as partes que ele cortou do peixe para "remontar" eles como um quebra-cabeças macabro. Isso pode ser considerado espetacular de um ponto de vista da arte culinária. Porem mais me parece uma brincadeira de mau gosto.

Para uma variação igualmente horrível, os chineses têm o Yin Yang Fish, que significa mergulhar o peixe em óleo e frita-lo vivo, mas, novamente, apenas o suficiente para que ele ainda continue vivo até você cravar o garfo em seu rosto quase frito pelo óleo.


# 5. Ortolan



ortolan

Origem:

França

O que há de tão ruim nisso?

Um pássaro ortolan mede cerca de seis centímetros de comprimento. É verde-oliva e amarelo, com um toque de rubi aqui e ali. A maioria das pessoas que olham para eles imediatamente pensam em uma gaiola e nomes engraçados como Piu-Piu.

Olá, Piu-Piu!

Outros preferem tortura-los e afoga-los para agradar os insaciáveis ​​gourmets em toda parte.

Espere, o que?

A receita para ortolan é: Capture a ave na natureza, cegue-a usando uma pinça, coloque-a em uma gaiola apertada para que ele não possa se mover, mantenha-o em uma dieta de milho, uvas e figos até atingir dois a quatro vezes o seu tamanho normal, e depois afogue-o em uma taça de Armagnac.

Fica pior:

O segredo para desfrutar um ortolan é a forma como você come. Depois de assar a ave por seis a oito minutos, você coloca a ave inteira dentro da boca, com apenas a cabeça de fora, cobre seu próprio rosto com um guardanapo... e morde.



A cabeça cai no guardanapo, enquanto você lentamente morde seus pequenos ossos, músculos minúsculos e vísceras ainda menores. O grand finale é quando você morde seus pulmões e estômago, liberando bolsas de aguardente em sua boca.

O cobrir o rosto com um guardanapo de papel supõe-se ter sido iniciado por um padre, Jean Anthelme Brillat-Savarin, que fez isso para esconder a sua gula de Deus.


# 4. Foie Gras



Foie Gras

Origem:

França

O que há de tão ruim nisso?

"Foie Gras" é um prato francês, e significa "fígado gordo", sendo fígado de patos ou gansos. A partir do momento em que os patos e gansos nascem eles são incentivados a brincar livremente, alimentando-se de grama, tanto quanto eles queiram. Dia após dia, os patinhos e gansos correm, brincam de pique-esconde e comem até se fartarem.

Então, eles são levados para um quarto escuro, um calabouço, colocados em compartimentos para aves e alimentados à força com milho e gordura até seu fígado chegar a seis vezes seu tamanho normal.

Quando pesquisei por "Foie Gras", este foi um dos únicos resultados que não me fez vomitar.

 

Espere, o que?

Sim, a textura amanteigada de Foie Gras é alcançada introduzindo um cano de metal longo pelo esôfago da ave e pneumaticamente bombeamento um quilo de uma mistura de milho gorduroso diretamente em seu sistema digestivo, que então é depositado diretamente em seu fígado, ampliando e saturando-o com gordura.

As aves são autorizadas a correr e brincar na grama quando são jovens, não para aliviar a culpa do fazendeiro sobre o que está por vir, mas para fortalecer seus esôfagos para que eles não morram durante o período de introdução de alimentos, que podem durar duas ou três semanas (com duas "refeições" a cada dia).

Ilustrei com uma caricatura, pra ficar menos cruel.

Fica pior:

Os patos e os gansos não curtem muito serem estuprados por via oral para engolir milho. Portanto, o método preferido de manter as aves quietinhas é fixa-los em pequenas caixas onde os pequenos condenados não podem debater suas asas nem mesmo ficar de pé.



Neste ponto, os patos/gansos são levados para o abate, presumivelmente sendo insultados o caminho todo.


# 3. Dojo Tofu




Bebe enguia

Origem:

Japão

O que há de tão ruim nisso?

Conhecido também como Tofu do inferno. O prato é uma lendária iguaria japonesa consistindo de bebê de enguia e tofu.

Espere, o que?

A base da receita para o Tofu do Inferno é fácil como uma receita de acarajé. Você começa a ferver um pouco de água e quando fica quente, você coloca um bloco de tofu no fundo, acrescentando imediatamente os bebês que vão tentar escapar de serem fervidos vivos mergulhando direto para o tofu ainda frio.

Dojo TofuAs enguias realmente parecem ainda estar tentando escapar.

E só então os bebês começam a perceber que algo cheira bem. ELES. O tofu começa cozinhar e as pequenas enguias, que apenas alguns segundos atrás estavam certas de que escaparam de uma morte fervente e alegraram-se com o pensamento de que ainda havia uma chance de ver os seus pais novamente, são cozidos vivos dentro dela.

O produto final se assemelha a um queijo suíço. Só que desta vez, os buracos não foram criados através de um processo de fermentação, mas por bebês enguia tentando escapar de uma panela de água fervente, com lágrimas escorrendo pelo rosto e lembrando com carinho de seu pequeno quarto de bebê com os ThunderCats passando na TV e o pôster de Luan Santana na parede.

Fica pior:

Há ainda muita confusão sobre se o prato é real ou não. Nós descobrimos o quadro do prato a ser preparado abaixo, mas não é possível determinar se é ou não é uma fotografia real.




# 2. Feng Gan Ji



feng

Origem:

Tibete / China

O que há de tão ruim nisso?

Feng Gan Ji literalmente significa "galinha seca ao vento", que soa como uma nova campanha de marketing de uma grande rede de fast-food. Para preparar este prato, você precisa basicamente de quatro coisas: uma galinha, uma faca afiada, um cara bem treinado e um coração tão negro e frio como os cantos mais sem vida do espaço exterior.

Espere, o que?



Lembra-se daquela cena em Batman - O Cavaleiro das Trevas, onde o Coringa costurou uma bomba dentro do estômago de seu capanga? Feng Gan Ji é bastante semelhante a isso, só que em vez de uma bomba o chef usa marinada, especiarias, ervas e todos os ingredientes secretos da culinária do sétimo círculo do Inferno. Após o corte, abre-se o frango vivo ainda, remove seus intestinos, coloca os ingredientes dentro e costura de volta. O frango é, então, amarrado de cabeça para baixo para secar ao vento.

Muito parecido com o xim-xim de galinha da Bahia.

Fica pior:

As galinhas costumam curtir os últimos segundos agonizantes de consciência após a tortura, pendurada na corda, cacarejando, gritando "Pelo amor de Deus, por que está fazendo isso conosco?! " E ver centenas de companheiras galinhas submetidas a mesma tortura. E quando as aves dão sua cacarejada final, a última coisa que ela vai ver será as suas irmãs mutiladas e torturadas. Alguém aí tá com fome?


# 1. Burro fresco



Burro fresco

Origem:

China

O que há de tão ruim nisso?

Primeiro de tudo, deixe-me dizer que burros são animais e, portanto, considerados comestíveis. Existe até a chance de você ter provado alguns traseiros, uma vez que supostamente são usados na fabricação de salame. Embora no salame você não come o burro enquanto ele ainda está vivo.

Não teria um lugar mais apropriado para fazer isso?

Espere, o que?

Carne de burro é bastante popular na China, e é facilmente obtida, assim como carne de porco ou de vaca. No entanto, a receita para uma certa "gostosura" feita de burro, lê-se como uma antiga técnica de tortura.

O prato em questão é conhecido na China como Huo Jia Lu (literalmente "Burro Vivo"). O animal tem suas pernas amarradas e seu corpo pressionado, enquanto o "Grupo de Tortura", conhecido coloquialmente na China como "chefs", cortam seu corpo cru e serve imediatamente para os comensais, que tranquilamente comem entre os gritos ensurdecedores do animal.

Você tem que admitir porém, que esta parece ser a mais simples receita do mundo:

Ingredientes: burro;
Preparação: comer burro.

Isto é o que acontece quando você deixa o almoço por conta de um cara que odeia cozinhar.

Fica pior:

Há uma variação desse prato chamado Lu Jiao Rou, onde um açougueiro corta a pele do burro e despeja água fervente sobre a sua carne crua, até que fique cozida. Ele, então, pega a faca e...


Postar um comentário

TALVEZ DESCONHEÇA SOBRE OS BURACOS NEGROS 1 – Eles não foram descobertos por Einstein Apesar de muita gente associar a descoberta dos ...