sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Como funciona a primeira lata que se 


autorrefrigera


Como funciona a primeira lata que se autorrefrigera
(Fonte da imagem: Joseph Company International)
Bebida enlatada com uma tecnologia curiosa, que permite o a refrigeração do líquido com o pressionar de um botão.
E é claro que os fãs de tecnologia e curiosidades não podem deixar de se perguntar: como é que esse sistema de refrigeração funciona? Por sorte, a West Coast Chill revelou o segredo por trás do mecanismo.
Como funciona
O segredo do sistema de resfriamento do aparelho, chamado HEU (“Heat Exchange Unit” ou “Unidade de Troca de Calor”, em português), armazena dióxido de carbono (o famoso CO2) em um compartimento especial da lata.
Tudo começa com o pressionar do botão na parte inferior da lata: ao fazer isso, o mecanismo gera uma diferença de pressão no gás armazenado, que passa por um fenômeno chamado dessorção. Durante esse processo, o dióxido de carbono começa a absorver todo o calor da superfície em contato com ele, resfriando a bebida.
Infelizmente, isso também faz com que todo o CO2 evapore logo em seguida. Logo, não é possível utilizar o sistema do HEU mais de uma vez.
Refrigeração a longo prazo
Por mais incrível que o processo possa ser, é bom esclarecer que ele não é instantâneo. Segundo a própria empresa, a diminuição de temperatura — que é de até 30° — leva aproximadamente três minutos; um tempo pequeno, em comparação ao que precisamos esperar com os métodos de refrigeração que usamos normalmente.
Como funciona a primeira lata que se autorrefrigera
(Fonte da imagem: Reprodução/West Coast Chill)
Em compensação, o método também garante que a bebida demore mais para voltar à temperatura ambiente em comparação a um líquido refrigerado normalmente — mas isso, é claro, depende do quão quente é o local em que ela está.
Fonte: Tecmundo


Leia mais: http://www.sobreinformatica.com/como-funciona-a-primeira-lata-que-se-autorrefrigera/#ixzz29l7pgkPB
Postar um comentário

MELHORE SUA ATENÇÃO: VEJA 10 ALIMENTOS QUE AJUDAM SEU CÉREBRO A RENDER MAIS Nem sempre nós conseguimos ter hábitos que nos ajudam a mant...