terça-feira, 24 de julho de 2012


Clareamento dentário: verdades e mentiras. Esclareça suas dúvidas e o seu sorriso agradecerá!


Nos tempos que correm, em que a estética é muito valorizada pela sociedade, é cada vez mais comum a procura por tratamentos estéticos. No que toca ao sorriso, elemento indiscutivelmente cartão postal de uma pessoa, essa exigência estética não poderia ser menos importante, pelo contrário. Cada vez mais, as pessoas estão preocupadas em possuir um sorriso que transpareça juventude e saúde. Nesse contexto, eu como dentista, para além de entusiasta da moda, sinto-me no direito e dever de esclarecer algumas dúvidas tão comuns entre o público geral.

Primeiramente, como funciona o clareamento dentário?
Imagine um apartamento com vários corredores e que esses corredores encontram-se cheios de sujeiras, manchas e pó impregnados em suas paredes. Agora imagine uma empregada de limpeza que vai a esse apartamento e limpa toda a sujeira que está no corredor, tornando o corredor mais limpo e mais vistoso. Pronto, é assim que funciona o branqueamento dentário. Os corredores seriam a estrutura prismática do esmalta, a sujeira seria as manchas e pigmentos impregnados no esmalte dentário e a empregada de limpeza seria o gel utilizado para realizar o clareamento. O gel (peróxido de oxigênio ou carbamida) promove reações de oxidação, com consequente liberação de oxigênio e remoção das pigmentações e manchas. O resultado são dentes mais brancos.
Quais as técnicas disponíveis?

O gel utilizado no tratamento pode variar a sua concentração conforme a técnica que seja escolhida. Quanto maior a sua concentração, mais rápido pode ser o clareamento. Concentrações acima de 20% só podem ser feitas em consultório com o supervisionamento do dentista. O gel nessas concentrações queima as mucosas e necessita de cuidados especiais, que são efetuados pelo dentista.
Existe também o clareamento caseiro feito com gel de 3,5 a 20% através da utilização de moldeiras de silicone, que são confecionadas no consultório odontógico. Para apresentar resultados, o tratamento caseiro  pode levar cerca de 15 dias e o uso do gel e da moldeira varia de 1 a 6 horas por dia, geralmente utilizados durante a noite. Os tratamentos feitos em consultório exigem pelo menos 2 sessões de cerca de 1h20 a 2 horas e o gel é ativado por uma fonte de luz (LED, Laser ou associação dos dois).

Eficácia


O tratamento é seguro e de fácil execução, entretanto é indispensável que seja feito por um dentista.O resultado é subjetivo, pois cada paciente responde ao tratamento de forma diferente. Não é uma certeza absoluta afirmar quantos tons o dente vai clarear. Depende da resposta biológica de cada um. Há casos, em que os dentes possuem manchas mais severas e o resultado desejado não é atingido. Nessas situações, o paciente poderá optar por realizar tratamentos que utilizam facetas, que seriam umas “capas” coladas sobre a face dentária. 



O efeito do tratamento branqueador pode variar cerca de 2 ou 3 anos. Segundo a literatura, 43% dos casos ficam estáveis por mais de 5 anos. Sendo assim, em algum momento você terá que fazer uma manutenção do tratamento.

Cautelas

Pacientes com história de sensibilidade dentária deverão ser cautelosos com o tratamento de clareamento. Entretanto, não é impossível realizá-lo, mas antes deverá resolver o problema da sensibilidade dentária, juntamente com o dentista. Apenas numa segunda fase  deverá ser realizado o branqueamento.



Conclusão 

O clareamento dentário é um procedimento seguro e poderá ser feito por qualquer pessoa que esteja insatisfeita com a cor de seu sorriso, desde que com orientação de um dentista.

Alguns esclarecimentos que me parecem úteis: 

1. Não há dentes brancos sem higiene oral, por isso antes de tudo reforce seus hábitos de higiene oral;
2. Não é recomendável fazer o clareamento dental sem orientação profissional;
3. O maior de todos os mitos é o fato dos peróxidos serem potencializadores de tumores. Na verdade são, porém em concentração acima de 50%. Utilizamos 35% e sem contato nenhum com tecidos moles ou mucosas;
4. Não há relatos de problemas sistêmicos associados a tratamentos clareadores;

5. Qualquer pessoa pode ter os dentes clareados, desde que estejam íntegros;
6. O clareamento pode ser feito a partir de 10 anos, sem riscos para a saúde;

7. Não existem contra-indicações, porém, por precaução, é aconselhável evitar o tratamento em gestantes e lactantes;
8. É importante saber que restaurações e próteses não sofrem ação dos clareadores, portanto é possível que, após o tratamento, haja a necessidade de trocar algumas restaurações estéticas ou próteses, pois ficarão mais escuras, comparativamente com os  dentes. Essa informação é importante na hora de ponderar os custos do tratamento;
9. Os dentes não enfraquecem após serem submetidos às técnicas de clareamento dentário;

10. Os dentes podem voltar a escurecer novamente, porém nunca como eram antes. Será necessário realizar manutenções que podem variar entre espaços de 2 a 5 anos;
11. Recomenda-se evitar alimentos pigmentados durante o tratamento: café, chás, refrigerantes, vinho, por exemplo;
12. Fumar e dentes brancos não combinam;

13. Não existem tratamentos de sessões únicas, é pura estratégia de marketing! 




Espero ter tirado algumas dúvidas e contribuído para o esclarecimento sobre o assunto. Qualquer dúvida é só comentar!
Postar um comentário

SERÁ QUE OS OVOS DE CASCA ESCURA SÃO MAIS SAUDÁVEIS DO QUE OS BRANCOS? A ideia de "não julgar um livro pela sua capa" pode func...