sábado, 21 de julho de 2012


A estrutura da Terra. Como é o seu interior?


A estrutura da Terra: crosta terrestre, manto e núcleo central.
by Roberto M.
O que é crosta terrestre? O que existe abaixo da crosta terrestre? Quais são as camadas interiores da Terra? O que é dinâmica terrestre? O que são Sial, Sima e Nife? O que é grau geotérmico? E descontinuidade de Moho?
Existem várias ideias sobre a origem da Terra, todas elas hipóteses, ou seja, teorias sujeitas a comprovação. O fascínio do homem por conhecer o interior da Terra é muito grande, mas tudo o que sabemos é baseado em cálculos e medições indiretas.

O ser humano não conseguiu, ainda, chegar até as partes mais profundas do planeta.
O que é conhecido mais diretamente do interior da Terra, são os materiais expelidos pelos vulcões, que no máximo, provêm de 200 km de profundidade. Todo o resto são deduções feitas a partir de propagação de ondas sísmicas (terremotos).

A Terra não é um corpo totalmente sólido e estático. Tem camadas líquidas e sólidas e é dinâmica, ou seja, faz movimentos e apresenta instabilidades.
Vulcões e terremotos são formas de movimentos no interior da Terra que acabam por transformar a superfície terrestre. Além disso, a Terra sofre modificações lentas e continuadas, devido à ação dos ventos, das chuvas, do gelo, da neve, das ondas do mar e dos rios.

Resumindo, a Terra está sujeita a grandes e pequenos movimentos que a modificam constantemente. A tudo isso chamamos dinâmica terrestre.

Através de estudos da dinâmica terrestre e com base na propagação de ondas sísmicas pelo interior do nosso planeta, os cientistas puderam, de forma simplificada, dividir a estrutura da Terra em três partes ou camadas principais: a crosta terrestre ou litosfera, o manto e o núcleo central.

CROSTA TERRESTRE OU LITOSFERA

É a camada sólida que envolve a Terra, formada por diferentes tipos de rochas e minerais.
Geralmente é subdividida em duas partes ou subcamadas.
crosta superior continental é conhecida como SIAL por ser formada basicamente por silício e alumínio.
crosta inferior oceânica é conhecida como SIMA por ser formada basicamente por silício e magnésio.
A crosta representa 0,7% da massa total da Terra. Pode atingir de 30 a 70 km de espessura na parte continental e 5 km na parte oceânica. É uma fina camada se comparada aos quase 6200 km de profundidade da Terra, até seu centro.

MANTO

É a camada intermediária do planeta. Subdivide-se em duas partes ou subcamadas.
manto superior, mais externo, vai até 1200 km de profundidade e é o responsável pelas grandes transformações que atingem a crosta, como terremotos, vulcanismo, formação de montanhas.
manto inferior, mais interno, vai até 2800 km de profundidade.
Uma grande parte do manto encontra-se na forma semilíquida ou viscosa, ou seja, na mesma forma do magma dos vulcões.
As duas partes juntas correspondem a 68,3% da massa total da Terra. Apresentam até 3000°C de temperatura.

DESCONTINUIDADE DE MOHO

Entre a litosfera (crosta terrestre) e o manto existe uma fronteira bem definida, chamada de descontinuidade de Mohorovicic, normalmente abreviada paradescontinuidade de Moho. É a fronteira entre a crosta e o manto.
As ondas sísmicas sofrem variação de velocidade ao atravessarem o MOHO.

NÚCLEO CENTRAL

É a parte central da Terra. Também conhecido como NIFE por ser formado por ligas metálicas de níquel e principalmente de ferro. Essa camada é constituída por materiais bem mais densos que as outras. Representa 31% da massa total do planeta.
Divide-se também em duas partes: uma externa e outra interna.
núcleo exterior, que envolve o núcleo interior, vai até cerca de 5100 km de profundidade e tem uma temperatura média de 4000°C. Seu material está em estado de fusão e provavelmente é viscoso ou semilíquido.
Supõe-se que o núcleo interior, apesar das elevadas temperaturas, seja sólido. A imensa pressão que esse material sofre das camadas que estão acima dele o tornaria sólido.
O diâmetro médio do núcleo interior é 2400 km.

GRAU GEOTÉRMICO

Um elemento importante para compreender o interior da Terra é o grau geotérmico.
Observe que a temperatura do interior do planeta aumenta progressivamente. Esse aumento é medido pelo grau geotérmico. Ele consiste no seguinte: a cada 30 metros, de profundidade, em média, a temperatura aumenta em cerca de 1°C.
Como a Terra tem mais de 6000 km de profundidade, podemos imaginar como é elevada a temperatura em seu interior.
Bibliografia: Moreira, Igor – Construindo o espaço do homem- vol.I – Editora Ática
Postar um comentário

CONHEÇA A HISTÓRIA POR TRÁS DE UM DOS BEIJOS MAIS FAMOSOS DO PLANETA Você com certeza já viu a foto acima centenas de vezes, não é mesmo?...