Claro, hoje é dia dos namorados, não poderíamos deixar passar em branco! Então, montamos um Top-5 de casais que marcaram a música, seja pela polêmica, pelo afeto ou pelos dois motivos juntos.

Em quinto lugar: The White Stripes
Incesto?!? Não. Na verdade, mesmo que a dupla tenha alegado por algum tempo que eram irmãos, acabaram anunciando que haviam sido casados. Se conheceram quando Jack foi comer algo na lanchonete onde Meg White trabalhava como garçonete, e casaram-se em 1996, num casamento que durou até 2000. Meg nunca havia sequer ‘brincado’ com música, mas Jack a ensinou e montaram os White Stripes – que encerrou suas atividades em 2011.
Em quarto lugar: Linda e Paul McCartney
Assim como algumas mulheres tentam ‘prender’ homens com o corpo, Linda apenas precisou ser uma ótima fotógrafa. Ela se consagrou por tirar fotos de grandes ícones da música, como The Who, The Doors, Jimi Hendrix, Bob Dylan e, claro, os Beatles. Foi em uma dessas sessões de foto que conheceu Paul McCartney.
Apesar das memoráveis fotos, Linda ganhou mais destaque por ser a esposa de um dos Beatles. O casal se dava muito bem, e inclusive fizeram alguns projetos musicais juntos. Durante a vida que tiveram juntos, devem ter ficado distantes um do outro apenas por uns dez dias, quando Paul foi detido por posse de drogas.
O casamento durou 29 anos, até Linda perder a batalha contra o câncer de mama, em 1998.
Em terceiro lugar, Sid & Nancy
Bem, se você é como eu que prefere os finais felizes, tenha certeza de que não é o caso desses dois.
Encurtando a história, Nancy era uma prostituta drogada e groupie dos Estados Unidos, que após falhar em agarrar qualquer rockstar americano, foi para a Europa. Lá, morou por uns tempos na casa de uma amiga – curiosamente a mesma casa onde Sid morava. Ela, viciada em heroína; ele, virgem (tanto de heroína quanto do resto). E foi assim que começou uma linda história de amor (só que ao contrário).
Sid tinha 19 anos quando entrou para os Sex Pistols e conheceu Nancy. Ambos se viciaram juntos em heroína e tinham um pacto de suicídio. Cerca de um ano (ou menos) antes de morrer, porém, Sid encontrou Nancy morta no banheiro do hotel onde moravam juntos, com uma faca no abdome. Até hoje não há como concluir se ela se matou enquanto estava drogada, se Sid a assassinou, drogado (com essa suspeita ele foi preso e tentou se matar diversas vezes na cadeia) ou se algum traficante de drogas é que teria sido o assassino.
O ex-baixista dos Pistols passou uma temporada preso, saiu, passou outra temporada preso e, em uma festa para celebrar sua liberdade, pegou a heroína da mãe e injetou uma dose letal.
Uma carta de suicídio pedia que ele fosse enterrado ao lado de Nancy. Contrariando as autoridades judaicas, que não permitiram que Sid fosse enterrado no cemitério israelita com Nancy, a mãe do baixista preferiu cremá-lo e jogou suas cinzas no túmulo da amada.
Medalha de prata: John Lennon & Yoko Ono
Este casal era simplesmente inseparável. Começou com John visitando uma exposição de quadros de Yoko, e ela interessada em um maior patrocínio para suas exposições. Lennon era casado com Cynthia Powell, num relacionamento que durou de 1962 a 1968 – ano em que o romance entre o beatle e a artista plástica começou e Cynthia pediu o divórcio.
Com o caminho livre, Yoko e Lennon se entregaram completamente um ao outro em parcerias musicais, artísticas e uma mulher “estranha” nos estúdios com os outros Beatles – naquela época o clima entre os membros já não estava muito bom, e a presença de Yoko não ajudou em nada.
Ninguém poderia separar os dois. A não ser Mark David Chapman, que foi quem atirou no ex-beatle na saída do estúdio em um dia de gravações com Yoko, matando Lennon.
Em primeiro lugar: Kurt Cobain & Courtney Love
Por qualquer que tenha sido o motivo naquela época, esse é um dos casais mais comentados no mundo da música. Talvez por Courtney ter sido garota de programa antes de virar vocalista da Hole e por Kurt ter sido um sem teto que virou representante do movimento grunge sem querer… Mas o caso é que, no comecinho dos anos 1990, um viu o show do outro e rolou aquela paixão. Também rolou um Kurt Cobain fugindo de encontros por não ter certeza se queria se comprometer, até que… Bem, até que ficaram juntos e veio a notícia de Courtney estava grávida. Casaram-se, e após o nascimento de Frances Bean, Courtney acabou comentando que usou heroína antes de saber que estava grávida. Lógico que a mídia caiu em cima, o que, para o desespero do casal, resultou em um processo sobre a guarda de Frances Bean.
No começo de 1994, Courtney organizou uma intervenção para tentar livrar Kurt do uso excessivo de drogas, mas ele acabou pulando o muro da rehab, e quatro dias depois de fugir foi encontrado morto, tendo se suiciadado com uma espingarda.
Triângulo amoroso bônus: Eric Clapton x Pattie Boyd x George Harrison
Pattie foi uma famosa modelo durante os anos 1960 e ‘70, que conheceu Harrison, guitarrista dos Bealtes, durante as filmagens de “A Had Day’s Night”. Não demorou muito para se casarem, num relacionamento que durou pouco mais que uma década. Harrison, muito amigo de Eric Clapton, sem querer acabou fazendo que os dois se conhecessem.
Clapton de apaixonou por Layla, ops, quer dizer, Pattie. Para ela são dedicadas inúmeras canções, principalmente, “Layla”. Cerca de dois anos após se divorciar de Harrison, a modelo se casou com Clapton.
Traições e o uso incontrolado de drogas por parte de Eric resultaram no fim do casamento. Ele, anos depois, se casou com Melia McEnery, com quem está até hoje, e Harrison se casou em 1978 com Olivia Trindade Aires, com quem ficou até perder a luta contra o câncer de pulmão, em 2001.