segunda-feira, 26 de março de 2012

10 Trabalhos Para Estômagos Fortes

Em algum ponto de nossas vidas, a grande maioria de nós já viu uma tarefa tão revoltante que chegou a admitir – “eu não faria isso nem que me pagassem”. Mas nem todo mundo pensa assim. Se um trabalho precisa ser feito, há sempre alguém para fazê-lo – especialmente se o preço é justo.

1. Lixeiro

A maioria de nós lava as mãos tão logo deixa o lixo na calçada. Simplesmente jogamos nossos detritos na lixeira e esquecemos dele. Isso, porém, não acontece com o coletor de lixo.




Se você já viu uma lixeira transbordando na rua, pode ter se sentido mal naquele momento pela pessoa que terá que limpar toda aquela bagunça. No topo desses trabalhos, os lixeiros têm de lidar com o nosso lixo, dia após dia. Nesse ingrato emprego, eles asseguram que o lixo sairá da beira de nossa calçada e será levado para o aterro. Trabalhadores do saneamento, frequentemente colocados em turnos longos, andam ruas e mais ruas para catar o lixo enquanto esquivam-se de motoristas impacientes – que ocasionalmente batem nos caras que estão esvaziando as latas de lixo. Esse é um dos motivos que fazem com que a coleta de lixo ocupe um dos lugares mais altos no ranking dos empregos mais perigosos.
Além de motoristas irritados, essas pessoas também lidam com forças da natureza – trabalham sob chuva, neve e granizo. E não vamos nos esquecer do cheiro. O fedor de fraldas sujas e ovos podres não é nada agradável, especialmente combinado com – e particularmente depois – de ficar sob o sol em um dia bastante quente. Apesar deles já estarem acostumados ao cheiro, isso não os torna “populares” depois de um longo período de trabalho.
Apesar da sujeira, perigo e mau cheiro, há falta de posto de trabalho para lixeiros. A média de salário anual para essa ocupação nos Estados Unidos é de US$ 43 mil. Na Califória, a média de pagamento por hora é de US$ 16,04, e em alguns lugares, a soma de horas extras podem fazer com que o salário chegue a US$ 60 mil por ano.

2. Gastroenterologista

Algumas vezes as tarefas mais difíceis têm a ver com o fato de termos que olhar para dentro de nós mesmos. E não estamos falando de exame de consciência. Tudo o que comemos passa por uma jornada de 7,62 m em nosso aparelho digestivo, e quando aparecem os problemas, há um determinado médico que pode nos ajudar – o gastroenterologista. Esses médicos são especializados no processo que a grande maioria de nós nem quer saber como funciona – a digestão.
Ninguém gosta de falar sobre ou descrever seu problema digestivo. Se tiver a ver com gases, fezes anormais ou dor na “parte traseira”, o gastroenterologista diagnosticará e tratará essas desconfortáveis e constrangedoras doenças. Então, você pode apostar que os pacientes não estão sempre felizes ao vê-lo.
Não é fácil se tornar um gastroenterologista. Esses profissionais precisam cursar quatro anos de medicina, três anos de residência e de dois a quatro anos de bolsa de estudos para tornar-se um gastroenterologista de verdade nos Estados Unidos.
Para que tanto esforço naquilo que é certo que será um trabalho “aromático”? Bem, se ajudar as pessoas não é um incentivo suficiente, o salário de um gastro pode ser. A grande maioria dos gastroenterologistas nos Estados Unidos recebe entre US$ 250 mil e US$ 400 mil por ano

3. Trabalhador na plataforma de petróleo

Dizer que o petróleo é uma indústria em crescimento é um eufemismo. Dado que as economias modernas dependem muito dele e os preços não param de subir, você pode apostar que as grandes companhias pagarão bastante para encontrar este ouro negro. Mas para a grande maioria dos trabalhadores,  encontrar o petróleo não é assim tão glamuroso quanto parece. O dia a dia em uma plataforma de petróleo é perigoso.
A vida na plataforma é especialmente difícil. Significa passar semanas dormindo, comendo e trabalhando 12 horas por dia ou noite  perfurando o solo no meio do oceano.  Além disso, o maquinário pesado e materiais explosivos fazem com que este seja um emprego bastante perigoso e que requer o uso de capacetes e botas com pontas de aço. E o negócio por trás da extração de petróleo não é a única parte que está crescendo – o maquinário faz um barulho enorme. Trabalhadores precisam colocar tampões em seus ouvidos para prevenir a surdez, e eles se comunicam através de sinais feitos com as mãos.
Mas se você consegue suportar o trabalho extenuante e o longo tempo fora de casa,  pode se dar bem. Mesmo os trabalhadores nos cargos mais baixos podem receber cerca de US$ 40 mil por ano. E os salários podem ser muito maiores para aqueles que possuem diploma universitário e experiência no exterior.

4. Limpador de banheiro portátil 

Este trabalho é uma espécie de combinação de lixeiro com gastroenterologista, porém, é ainda um pouco mais nojento do que a soma dos dois juntos. Ainda que a grande maioria das pessoas evite usar banheiros móveis, eles podem ser uma salvação – dependendo da circunstância. E eles poderiam ser ainda piores se não fossem as pessoas que os limpam.
Usando um tanque e um aspirador a vácuo, os limpadores sugam toda a sujeira de um banheiro portátil. Depois de pegar todo o papel higiênico usado, ainda é preciso limpar as paredes do banheiro. Normalmente, limpar um banheiro móvel demora apenas alguns poucos minutos, e a grande maioria dos empregados costuma limpar de 10 a 60 banheiros por dia. Mas nem sempre é assim tão fácil: alguns banheiros viram e aí a coisa complica um pouco.
No entanto, alguns limpadores suportam e até riem de tudo isso – e levam para casa cerca de US$ 50 mil por ano.

5. Pescador de caranguejo

Quando a maioria das pessoas pensa em pescar, imagina tardes preguiçosas no lago e papai e filhinho pescando juntos. Você pode até ficar surpreso, mas a pesca é uma das ocupações que mais matam nos Estados Unidos.
Se você já viu um episódio de “Pesca Mortal” (Deadliest Catch - em inglês) provavelmente tem uma ideia e sabe que o que estamos falando é a mais pura verdade. Ao longo da costa do Alasca, pescadores de caranguejo encaram águas congelantes e tempestades que dão forma a ondas gigantescas. Mesmo que os pescadores consigam se proteger de serem varridos ao mar, ainda precisam se preocupar com o perigoso maquinário nos barcos de pesca, que pode até mesmo arremessá-los ao mar. E ainda que eles consigam não se afogar, a temperatura gelada da água pode causar uma hipotermia fatal. Esses bravos homens trabalham em turnos que chegam a durar até 12 horas seguidas
Mas, como já era de se esperar, a indústria de pesca de caranguejo é perigosa e lucrativa ao mesmo tempo. Por poucos meses de trabalho no ano, trabalhadores experientes podem receber cerca de US$ 60 mil. Tudo depende de quão bem sucedido é o rendimento de um barco particular.

6. Inspetor de esgoto

Ratos, baratas, passagens escuras e, ocasionalmente, cadáveres – não, não estamos falando de um dia na vida de Indiana Jones. Em um papel muito menos glamuroso, o limpador de esgotos lida com tudo isso e muito mais enquanto enfrenta quilômetros de profundidade de esgoto sobre nossas cidades.
Depois de terminarmos nosso “serviço” no banheiro, tudo o que temos que fazer é puxar a descarga e dar adeus, e nunca mais teremos que ver “aquilo” novamente. Mas este não é o caso para as pessoas que tomam conta de nosso sistema de esgoto. Seu trabalho envolve andar e algumas vezes rastejar por túneis de esgoto a procura de rachaduras, entupimentos e outros problemas. E se vagar pelos excrementos humanos ainda não é ruim o suficiente, alguns trabalhadores mergulham no esgoto. Como você provavelmente pode adivinhar, eles precisam nadar através do esgoto para desentupi-lo. Além dos excrementos, mau cheiro, insetos rastejantes e ratos, as pessoas que trabalham nos esgotam esbarram às vezes em cadáveres tanto de animais como de seres humanos.
Esses trabalhadores chegam a ganhar US$ 60 mil por ano e muitos os consideram nobres cuidadores de nosso planeta já que mantêm a água e nossas ruas limpas.

7. Minerador de carvão

Juntamente com o lixeiro e pescador de caranguejo, a mineração de carvão é também uma das profissões mais perigosas existentes na atualidade. Embora a mineração tenha percorrido um longo caminho desde o filme “Como era verde meu vale”, ainda continua a ser uma tarefa difícil. A mineração de carvão contém metano e explosões podem ocorrer quando as pedras caem e provocam faíscas. Além do mais, minas instáveis podem desmoronar matando seus trabalhadores.
Além desses perigos, trabalhar diretamente com o carvão é literalmente sujo. Esqueça o fato de sujar as mãos – trabalhar em uma mina de carvão significa sujar-se por inteiro. O carvão espalha poeira por toda a superfície além de contaminar o ar. Só por respirar, os mineradores ingerem o pó do carvão e algumas vezes desenvolvem doenças pulmonares, como enfisema e câncer. Ainda que melhoramentos no sistema de ventilação das minas tenha reduzido o número de mineradores com problemas pulmonares, isso ainda é um problema. No entanto, mesmo coberto de pó, dinheiro ainda é dinheiro. Em West Virginia, onde o carvão é uma indústria em crescimento, os mineradores recebem um salário anual em média de US$ 64 mil.

8. Embalsamador

Muitas culturas têm tradições antigas, rituais fúnebres e tratamentos especiais para os mortos. Algumas dessas tradições incluem tentativas de preservar o corpo o tanto que for possível. Enquanto os antigos egípcios mumificavam seus mortos, muitas culturas modernas buscam embalsamá-los.
Quando uma pessoa morre, o corpo rapidamente se torna pálido e disforme. Isso não é nada agradável para familiares e amigos que precisam dizer adeus a seus entes queridos. É aí que entra o processo de embalsamar o corpo. Ele retarda a decomposição do cadáver e restaura a aparência do mesmo com o uso de maquiagem própria para isso. O embalsamento também desinfeta e esteriliza o corpo para prevenir a propagação de infecções.
Os detalhes do embalsamento não são nada agradáveis. Ele envolve primeiramente a lavagem do corpo com sabonete germicida e massagem para aliviar a rigidez. Os embalsamadores drenam o sangue e gases e injetam um fluido desinfetante. Preparar o rosto envolve manter a boca e os olhos fechados com o uso de uma cola especial. Também é possível deixar o corpo mais bonito com maquiagem, manicure e depilação. Eles também vestem o corpo antes do funeral.
Embalsamadores são expostos a produtos químicos tóxicos durante o processo e a doenças que se espalham no momento de manipular os corpos. Além da necessidade de ter uma forte constituição corporal para lidar com cadáveres, essas bravas pessoas também precisam ter tato para interagir com a família do falecido. Embalsamadores, agentes funerários e coveiros ganham em média US$ 41 mil por ano, e o salário pode aumentar de acordo com a experiência dos mesmos.



9. Encanador

Para uma pessoa moderna, a ideia de viver sem encanamento é inaceitável. O encanamento pode ser considerado com um dos maiores avanços da sociedade uma vez que nos proporcionou um significante conforto além de ser bem conveniente. Já não precisamos mais sair de nossas casas para buscar água em um poço. E quando os canos entopem ou vazam, a grande maioria de nós chama um encanador.
Os encanadores precisam frequentemente se agachar sob nossas pias ou rastejar em espaços minúsculos sob nossas casas. E se essas condições de aperto e sujeira não forem suficientes, eles ainda precisam lidar com entupimentos revoltantes além de canos quentes e perigosos. Os clientes também costumam chamar os encanadores nas mais diversas horas, tornando os seus horários completamente imprevisíveis.
Mas além desses inconvenientes, os encanadores podem ter uma vida confortável já que os iniciantes recebem normalmente entre US$ 35 mil e US$ 40 mil nos Estados Unidos. A média de salário anual é de US$ 47 mil.

10. Limpador de cena de crime

Logo após um crime sangrento ou a descoberta de um laboratório químico ilegal, os investigadores da polícia correm como loucos para pegar os criminosos e trazer para a justiça. Mas na pressa de limpar o crime da cidade, a polícia não tem tempo para limpar as paredes. Esteja cheia de sangue e vísceras ou de produtos químicos, limpar a cena de um crime é tarefa para um profissional especializado.
Assassinatos e suicídios podem envolver muito sangue. Junte isso a fragmentos de ossos, sangue coagulado e pedaços de corpos espalhados e você terá uma bagunça e tanto. Esse emprego certamente não é para os fracos de coração – quem tem propensão a ficar enjoado ou emocionalmente abalado não se dará bem nessa linha de trabalho. Desenvolver transtornos ligados ao stress não é tão incomum para quem trabalha nessa área. E esse trabalho é também bastante perigoso. Até nos dias em que os profissionais não precisam lidar com laboratórios de antraz, eles precisam se preocupar com a transmissão de doenças que se dá a partir dos fluidos humanos. Isso significa que é preciso colocar vestimentas apropriadas para se proteger.
Dependendo do tamanho da bagunça, a limpeza pode demorar poucas horas ou alguns dias. Mas você não ouvirá esses profissionais se queixando muito – eles recebem por hora. Com um pouco de experiência e flexibilidade no horário, você pode facilmente ganhar algo em torno de US$ 75 mil. Embora um diploma universitário não seja necessário ele pode ajudar na hora de receber um aumento no salário.
Não há dúvidas de que esses 10 empregos justificam a máxima, “É um trabalho sujo, mas alguém precisa fazê-lo”. Talvez da próxima vez que a gente encontrar um lixeiro ou um agente funerário trabalhando, nós possamos tirar o chapéu a eles por fazerem um trabalho que a grande maioria de nós  não agüentaria nem por um único dia.
Postar um comentário

Lei federal cancela carteira de habilitação vencida há mais de 30 dias? Uma corrente no WhatsApp circula com uma notícia falsa que ...