1. Sprint turbinado

O gene ACTN3 está presente em todo mundo, mas nem todos possuem uma qualificação a mais para os esportes por conta dele. Acontece que alguns indivíduos possuem uma variante desse gene que produz a proteína alfa actinina 3, que controla os músculos usados em contrações rápidos, como os usados em levantamento de peso, por exemplo.

2. Sono? Nunca!

Reza a lenda que precisamos dormir 8 horas por dia para recuperarmos nossa energia, mas e se algumas pessoas pudessem fazer isso na metade do tempo? Isso realmente existe e está associado a mutações no gene hDEC2. Outros genes podem estar envolvidos nessa “disfunção”, mas ainda precisam ser identificados.

3. Paladar apurado

O gene TAS2E38 é o responsável por identificarmos o sabor amargo dos alimentos. Entretanto, cerca de 25% da população possui uma alteração genética que acentua esse e outros sabores, transformando as pessoas em “superdegustadoras”. Elas são mais propensas a abusar do açúcar em comidas ou bebidas amargas, como o café, e também costumam evitar mais facilmente os alimentos gordurosos.

4. Ossos de titânio

Você já deve ter ouvido falar de pessoas com ossos de vidro, isto é, ossos extremamente frágeis e que quebram facilmente. Isso acontece por mutações no gene LRP5, que podem, também, ter o efeito oposto: uma parcela mínima da população possui uma densidade óssea muito alta, sendo praticamente inquebrável!

5. Colesterol sempre baixo

O colesterol alto pode trazer uma série de problemas para a nossa saúde, por isso temos que tomar muito cuidado com a alimentação e praticar exercício físico. Algumas pessoas, entretanto, não precisam se preocupar tanto assim: uma deficiência no gene responsável pela proteína CETP faz com que elas carreguem muito mais colesterol HDL – o bom – no corpo. O HDL consegue transportar o colesterol ruim para o fígado a fim de ele ser eliminado. Uma das consequências disso é a baixa incidência de problemas cardíacos em quem possui essa mutação.


FONTE(S)