Quem nunca espremeu um — ou muitos! — cravos, especialmente durante a adolescência? Mas o que você sabe sobre esses pontinhos brancos ou negros, além do fato de eles serem persistentes, ligeiramente desagradáveis e insistirem em aparecer na pele? O pessoal do site Mental_Floss conversou com a dermatologista Sandra Lee, que se tornou uma celebridade após começar a postar vídeos removendo cravos e espinhas no YouTube, para tirar dúvidas, e você pode conferir algumas curiosidades a seguir:

1 – Nome científico

Segundo Sandra, embora todo mundo conheça os pontinhos como cravos, os termos médicos usados em referência a eles são “comedão aberto”, no caso dos pontos negros, e “comedão fechado”, no caso dos brancos. A palavra comedão, aliás, tem sua origem no vocábulo em latim comedere, que significa “comer”, e era usada antigamente para designar vermes parasitas.
Na imagem acima, da esquerda para a direita: poro normal, comedão fechado e comedão aberto
Quem decidiu aplicar o termo para nomear os cravos foi um cara chamado C. H. Fagge que, em 1866, descreveu os pontos negros como uma “massa pastosa e amarelada, com a ponta negra e parecida com um verme que, em algumas pessoas, pode ser expelida dos folículos pilosos quando pressionada”.

2 – Os pontos não tem a ver com sujeira

De acordo com Sandra, os cravos nada mais são do que poros cheios de material. Mas, apesar de muita gente sentir nojinho deles e pensar que eles sejam bichinhos ou compostos por sujeira, a dermatologista explicou que os comedões são formados por minúsculos fragmentos de pele e sebo que vão se acumulando no poro.
Os cravos não são bichinhos nem sujeira
No caso dos comedões abertos, eles ficam pretinhos porque sofrem oxidação em contanto com o ar, enquanto que os fechados, por estarem cobertos por uma fina camada de pele, permanecem brancos. A especialista também explicou que, quando esse ambiente se torna propício para a proliferação de bactérias, como a Propionibacterium acnes, por exemplo, pode acontecer de a acne aparecer.

3 – O Sol pode estimular seu surgimento

Conforme explicou Sandra, basicamente, existem duas categorias de cravos, os que são provocados pela acne durante a adolescência e que geralmente aparecem na testa, nariz e queixos, e os que aparecem devido à exposição ao Sol.
A exposição ao Sol pode fazer com que eles surjam
Os do segundo tipo costumam surgir em pessoas mais velhas, são resultado de anos e anos da ação dos raios solares sobre a pele e frequentemente aparecem próximo a pelos e cabelos e nas imediações dos olhos. Só a título de curiosidade, as grandes concentrações de cravos são conhecidas como Síndrome de Favre-Racouchot e, como eles se acumulam em peles menos firmes e são de maior tamanho, são bem fáceis de remover.

4 – Existem lugares à prova de cravos

Aqui eles não aparecem
Apesar de os cravos serem inoportunos e aparecerem inclusive em locais pouco visíveis e acessíveis do nosso corpo — como o meio das costas e a região genital —, é necessário que haja um folículo piloso para que eles se desenvolvam. Portanto, as áreas do corpo desprovidas de pelos, como é o caso das plantas dos pés e as palmas das mãos, são à prova de cravos.

FONTE:http://www.megacurioso.com.br/saude-e-beleza/102754-descubra-4-curiosidades-que-voce-talvez-desconheca-sobre-os-cravos.htm?utm_source=megacurioso.com.br&utm_medium=internas&utm_campaign=ultimasnoticias