Se você é fã de astronomia e gosta de acompanhar as notícias sobre as últimas descobertas nessa área, então deve saber que os cientistas estão empenhados em encontrar mundos que ofereçam as condições necessárias para abrigar formas de vida — e, com um pouco de sorte, se deparar com um planeta que sirva de lar para seres alienígenas.
E os astrônomos estão se esforçando de verdade! Para você ter uma ideia, de acordo com Michael Irving, do site New Atlas, pelo menos 3,6 mil exoplanetas foram descobertos nas últimas duas décadas. Infelizmente, ninguém conseguiu achar — ainda — um mundo com as condições ideais para suportar a vida como conhecemos, nem um que abrigue criaturinhas extraterrestres, mas eles certamente acharam alguns planetas pra lá de curiosos. Confira 5 deles a seguir:

1 – GJ 1132b

Nós falamos a respeito do GJ 1132b recentemente aqui no Mega Curioso, e se trata de um exoplaneta rochoso que se encontra a 39 anos-luz de distância da Terra e que, além de ser semelhante ao nosso mundo, foi o primeiro desse tipo no qual os astrônomos conseguiram detectar a presença de uma atmosfera contendo oxigênio. Excitante, certo?
Na verdade, a notícia é excitante sim, mas mais para os cientistas do que para os terráqueos esperançosos em colonizar outros mundos. Isso porque, apesar de o GJ 1132b estar um pouco fora do nosso alcance — considerando que não podemos chegar até ele com as tecnologias atuais —, a tão comentada atmosfera provavelmente causa um efeito estufa no planeta capaz de gerar temperaturas altas o suficiente para derreter rochas e transformar sua superfície em um imenso oceano de lava.

2 – HAT-P-7b

Localizado a mil anos-luz de distância da Terra, o exoplaneta HAT-P-7b é um gigante gasoso que orbita bem próximo ao seu Sol e apresenta rotação sincronizada com ele, o que significa que uma de suas faces está constantemente voltada para a estrela. Por essa razão, o lado de HAT-P-7b que fica eternamente exposto aos raios solares tem temperaturas escaldantes de 2,6 mil graus Celsius, aproximadamente, enquanto a outra fica voltada para o vazio frio do espaço.
O interessante, é que essa diferença de temperaturas faz com que o exoplaneta tenha ventos pra lá de fortes — que carregam pesadas nuvens ao seu redor. Você achou essa curiosidade meio sem graça? Talvez você mude ideia ao saber que os astrônomos acreditam que, em vez de “chuva”, as nuvens que circulam pelo HAT-P-7b são carregadas de safiras e rubis.

3 – PSR J1719-1438

Se você achou a ideia de que exista um planeta com nuvens carregadas de pedras preciosas interessante, o que você pensaria de um mundo que poderia ser feito de diamante? Esse é o PSR J1719-1438, um pequeno exoplaneta com cerca de 60 mil quilômetros de diâmetro que orbita a pulsar PSR J1719-1438, situada a 4 mil anos-luz de distância da Terra.
E como os astrônomos chegaram a essa conclusão? Segundo estimaram, o PSR J1719-1438 é composto principalmente por oxigênio e carbono e, embora o planetinha seja pequeno — contando com cerca de um quinto do diâmetro da Terra —, ele é bastante denso (com uma massa ligeiramente superior à de Júpiter). Essas características indicam que sua estrutura provavelmente é cristalina e que, se o exoplaneta não for inteiramente feito de diamante, uma grande parte dele deve ser.

4 – OGLE-2016-BLG-1195Lb

E se falássemos para você que o OGLE-2016-BLG-1195Lb é um planeta que conta com uma massa semelhante à da Terra e que ele orbita a sua estrela a uma distância parecida à que o nosso mundo orbita o Sol? Seria de imaginar que, como mínimo, esse exoplaneta poderia apresentar temperaturas cálidas como as que nós temos por aqui, certo?
Acontece que o OGLE-2016-BLG-1195Lb orbita um Sol tão “apagadinho” que os astrônomos sequer conseguem decidir se ele pode ser classificado como estrela. Isso faz com que o exoplaneta seja uma enorme esfera gelada — provavelmente com temperaturas ainda mais baixas do que as registradas em Plutão, que não passam dos -223 °C quando sua órbita o aproxima mais do Sol.

5 – KELT 11b

Júpiter, como você sabe, é o maior planeta do Sistema Solar — e ele é tão grande que caberiam 1,3 mil Terras em seu interior. Pois os astrônomos descobriram um exoplaneta que é 40% maior do que o nosso gigantão gasoso, então, imagine só o tamanho da criança!
Chamado KELT 11b, esse supergigante gasoso se encontra a 320 anos luz de distância da Terra e completa uma orbita ao redor de sua estrela — uma subgigante amarela — a cada cinco dias. Mas, curiosamente, o exoplaneta conta com apenas um quinto da massa de Júpiter, o que significa que, comparativamente, ele é tão denso como o isopor e possui uma atmosfera extraordinariamente grande.