1. Água parada

A água parada dentro do vaso sanitário é perfeita para a proliferação de germes. Quando você urina sobre ela, a agitação cria uma espécie de névoa nojenta, que pode te levar a inalar um monte de bactérias. Uma sugestão: com a tampa fechada, aperte a descarga antes de usar a privada.
Aperte a descarga antes de usar o sanitário

2. Secadores de mão

Os secadores de mão que usam ar quente são até 27 vezes mais sujos do que aqueles que usam toalhas de papel. Ao agitar o ar, você pode soprar bactérias de outras pessoas que estão no aparelho. Por isso, evite-os sempre que for possível. Porém, se eles forem a única opção, você pode afastar ao máximo o seu rosto para evitar a inalação desses monstrinhos invisíveis.
Publicidade
Afaste o rosto antes de utilizar um destes

3. Assento sanitário

Na prática, você está exagerando se cobre o assento do vaso sanitário. Porém, estudos mostram que, na teoria, a bactéria Staphylococcus aureus resistente à meticilina, comumente chamada de SARM, pode, sim, te contaminar e estar presente no assento. Ela pode causar lesões na pele, como feridas e abcessos, mas, até hoje, não foi comprovado nenhum caso de transmissão através do banheiro. Mesmo assim, melhor prevenir do que remediar, certo?
Pode até ser paranoia, mas para que se arriscar, não é mesmo?

4. Sabonete líquido

Se você pensa que basta lavar as mãos com sabonete em banheiros públicos para ficar livre dos germes, então você precisa pensar mais um pouco. Pesquisadores descobriram que, em alguns desses banheiros, existe tanta matéria fecal nos sabões que é igual você lavar as mãos com água da privada. Isso muda de figura se o compartimento de sabão for hermeticamente fechado, sendo substituído por completo quando este acaba.
Mais sujo do que você imagina

5. Maçaneta

Você tomou todos os cuidados e vai sair do banheiro, mas é nessa hora que o risco maior acontece: o trinco da porta é o lugar mais nojento de todo o recinto. Nos banheiros públicos masculinos, a predominância é de matéria fecal. Já nos femininos, os fungos vaginais fazem a festa. Por isso, ao sair, procure encostar na maçaneta com alguma toalha de papel.
Pior lugar do banheiro

6. Elevadores

Banheiros públicos podem até ser nojentos, mas é mais fácil você se contaminar em lugares aparentemente inocentes. Pesquisadores mostraram que os botões dos elevadores, por exemplo, são muito mais “ricos” em germes do que alguns banheiros, sem contar que a “viagem” das bactérias pelo recinto é muito maior em lugares menores e menos ventilados. Sem contar a superlotação que eles podem gerar vez ou outra...
É mais fácil ser contaminado em um elevador

7. Banheiros de casa

A matéria chega ao fim, mas não é para trazer paranoia. Apesar das nojeiras dos germes, saiba que você está em contato com eles o tempo todo – mesmo que desistisse de entrar em um banheiro para o resto da vida. Na verdade, 68% dos germes encontrados no recinto podem estar próximos a ele ou em pessoas com quem você tenha contato. Além disso, o banheiro da sua casa não é tão mais limpo quanto você imagina: 5 horas depois da limpeza, eles são praticamente idênticos na imundície invisível.
5 horas após a limpeza, banheiros públicos ou de casa são iguais
***
*Publicado em 25/05/2016