terça-feira, 20 de junho de 2017


4 teorias sinistras a respeito da destruição do Universo


A teoria mais aceita atualmente pela Ciência para explicar a origem do Universo é a de que ele surgiu há 13,8 bilhões de anos em uma imensa explosão que ficou conhecida como Big Bang. Ainda segundo a teoria, desde que esse evento cósmico aconteceu, o espaço continua em constante expansão e seguirá assim por um bom tempo.
Entretanto, assim como existe uma — possível — explicação a respeito do surgimento do Universo, também existem diversas especulações sobre o que poderia provocar a sua destruição. Se por um lado há a ideia de que tudo teve origem a partir de uma explosão espetacular, as possibilidades apresentadas para o fim de toda a existência são pra lá de assustadoras. Confira 4 delas a seguir:

1 – O Grande Congelamento

Conhecida pelo nome em inglês de “Big Freeze”, a teoria do Grande Congelamento, basicamente, se refere à ideia de que o Universo poderia “morrer” de frio. Você deve se lembrar do termo “entropia”, não é mesmo? Ele se refere à medida de desordem das partículas em um sistema físico e quantifica o seu grau de irreversibilidade.
Segundos os defensores da teoria do Grande Congelamento, se considerarmos o cosmos como um sistema isolado — o que ele, apesar de ser incrivelmente gigante, é —, enquanto continua com sua infinita expansão, sua entropia continuará aumentando até que ela alcance um limite máximo.
Quando isso acontecer, o calor presente em todo o sistema se encontrará distribuído de maneira completamente homogênea, de forma que já não haverá mais disponibilidade de energia (ou calor). Com isso, todo o movimento mecânico que há no sistema deixará de existir — e tudo o que há no Universo, como galáxias, estrelas, planetas etc., acabará morrendo.

2 – A Grande Ruptura

Outra teoria, baseada na ideia da contínua expansão do Universo, é a conhecida como “Big Rip” — ou “Grande Ruptura”, em tradução livre —, e seu desfecho é pra lá de sinistro! De acordo com esse conceito, conforme a velocidade de ampliação do cosmos aumenta, as galáxias começarão a se separar umas das outras gradativamente.
Depois, as próprias galáxias vão começar a se fragmentar e, depois delas, sistemas solares, estrelas, planetas, satélites, asteroides, cometas... enfim, tudo o que existe no Universo, até as moléculas e os átomos, acabarão se “rasgando” devido à crescente velocidade de expansão do cosmos.

3 – O Grande Colapso

A teoria do Grande Colapso — ou “Big Crunch”, em inglês — vai na contramão dos dois cenários que descrevemos anteriormente, baseados na ideia de que a expansão do Universo será a responsável pela sua destruição. Para os defensores da teoria do Grande Colapso, em determinado momento de sua existência, o cosmos deixará de aumentar de tamanho e começará a encolher.
Esse processo continuará até que o Universo sofra um colapso completo, destruindo absolutamente tudo o que existe nele. O pior é que, de acordo com os cálculos realizados pelos físicos, esse é um evento iminente — do ponto de vista cosmológico! —, o que significa que ele deve acontecer dentro de algumas dezenas de bilhões de anos.

4 – Grande Rebote

Também conhecida pelo nome em inglês de “Big Bounce”, a teoria do Grande Rebote se apoia na ideia de que o Universo oscilou entre períodos de expansão e colapso — e nós, assim como tudo o que existe no cosmos, estamos presos nesse estica-e-puxa cósmico.
Segundo essa teoria, antes do Big Bang, existia um Universo em contração dotado de uma geometria de espaço-tempo semelhante à do atual espaço em expansão. Entretanto, conforme as forças gravitacionais atraíram esse cosmos em contração para um único ponto, as propriedades quânticas do espaço-tempo alteraram a forma como a gravidade se comporta, tornando-a repulsiva.
Assim, em outras palavras, a teoria do Grande Rebote se baseia na premissa de que o Big Bang foi resultado de um Big Crunch, ou seja, do completo colapso de um Universo que existia antes do atual.
FONTE:http://www.megacurioso.com.br/universo/90615-4-teorias-sinistras-a-respeito-da-destruicao-do-universo.htm

7 atitudes grosseiras que podem te trazer benefícios

Raiva, soberba, narcisismo e arrogância: estas são características que carregam uma enorme carga negativa, não acham? Mas isso nem sempre acontece, de acordo com a ciência. Os pesquisadores tentam identificar como alguns comportamentos considerados ruins podem trazer benefícios para os indivíduos que os apresentam.
E olha, você vai se surpreender bastante! Enquanto muitas pessoas tentam espalhar a paz, o amor, a compaixão e a empatia entre os povos, vários cientistas mostram que ser um verdadeiro “idiota” pode, sim, ser uma coisa muito boa! Nem que seja apenas para quem tem tais atitudes.
Por isso, confira 7 comportamentos considerados grosseiros, mas que podem te ajudar bastante na vida:

1. Recusar-se a pedir desculpas

Quando nós erramos, é normal que tenhamos a necessidade de pedir desculpas por isso. Geralmente, o sentimento após uma reconciliação é bastante satisfatório. Mas você sabia que um estudo publicado no European Journal of Social Psychology diz que as pessoas se sentem ainda melhores quando NÃO pedem desculpas?
Pode parecer surreal, mas é isso mesmo! O pesquisador Tyler Okimoto conversou com 228 pessoas e as questionou sobre diferentes tipos de delitos que elas tinham cometido. Desde coisinhas simples, como uma barbeiragem no trânsito, até mesmo casos graves, como furtos. Desse total, aqueles que não se desculparam apresentaram um grau maior de satisfação pessoal!
Uma explicação seria de que, ao se justificar com alguém, você estaria se “inferiorizando” em relação a essa pessoa. Com isso, fica nas mãos do outro decidir se você é merecedor das desculpas solicitadas – o que tira seu poder.

2. Ser esnobe

Você já entrou em algum varejão e se deparou com um vendedor de nariz empinado? Provavelmente saiu de lá reclamando e não comprando nada, não é mesmo? Mas você sabia que essa regra não funciona quando se trata de itens de luxo?
Uma pesquisa da Universidade da Colúmbia Britânica mostra que vendedores esnobes de artigos considerados de luxo conseguem vender muito mais ao apresentar esse tipo de comportamento. A justificativa estaria no fato de que essas pessoas “entendem” do que estão vendendo – e você, o comprador, é um leigo no assunto querendo entrar para a turminha antenada.

3. Falar palavrão

Ter a boca suja não é uma característica das mais apreciada nas pessoas. Porém, um estudo da Universidade Keele de Psicologia mostra que falar palavrão pode aumentar a sua resistência a dores. A pesquisa envolveu 67 pessoas que escreveram dois conjuntos de cinco palavras: o primeiro para descrever uma mesa, e o segundo para expressão a frustração de atingir seu dedo com um martelo.
Depois disso, as pessoas foram divididas em dois grupos para realizar o mesmo teste: primeiro, colocar sua mão em um balde com água à temperatura ambiente e, logo em seguida, mergulhá-la em balde com água geladíssima! Nesse momento, o primeiro grupo deveria ler as palavras que usou para descrever a mesa, já o segundo falava os palavrões. A pesquisa mostrou que o segundo grupo demonstrou uma tolerância maior à dor causada pelo congelamento da mão.

4. Reclamar

Todo mundo conhece alguém assim: reclama, reclama, reclama e, quando se cansa, reclama mais um pouco. Entretanto, uma pesquisa da Universidade Clemson mostra que reclamar demais pode te deixar mais feliz. Parece contraditório, não acham?
O estudo foi comandado pela professora Robin Kowalski e analisou o comportamento de 400 voluntários que responderam a um questionário sobre seu parceiro ou sobre algum ex. Primeiro, eles tiveram que listar suas reclamações e, depois, relatar seu grau de felicidade. Robin descobriu que as pessoas que tinham mais exigências eram aquelas mais felizes. Mas como?
Ela explica que os reclamões precisam saber como impor suas vontades e seus desejos. Ou seja, há uma maneira correta de ficar de mimimi por aí que te fará ser muito mais feliz!

5. Ser arrogante

excesso de confiança pode ser benéfico em inúmeros pontos: esse sentimento pode evitar, por exemplo, a depressão, a autodepreciação e a dúvida. Além disso, um estudo mostra que ser arrogante pode melhorar a percepção que as outras pessoas têm de você. Para elas, você é mais competente quando exalta suas qualidades e seus conhecimentos.
Na pesquisa comandada pela Associação Psicológica Americana, os participantes testavam seus conhecimentos em geografia – primeiro, individualmente e, depois, em duplas. Em seguida, eles precisavam avaliar suas próprias habilidades e as do parceiro. O estudo mostrou que as pessoas que melhor se autoavaliavam também eram aquelas mais bem avaliadas por seus companheiros.

6. Ter raiva

Como um sentimento tão negativo como a raiva pode ser uma coisa boa? De acordo com alguns neurocientistas, ela é capaz de deixar as pessoas menos estressadas! A raiva aumenta, momentaneamente, sua frequência cardíaca, sua testosterona e sua pressão arterial. Porém, ela diminuiu o hormônio cortisol, responsável pelo estresse, fazendo com que a pessoa relaxe antes de tentar resolver algum problema.
É como diz aquele ditado: “Depois da tempestade, vem a calmaria”. Além disso, a raiva pode te ajudar a conseguir o que você quer das pessoas, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Amsterdã.

7. Ser idiota

A ciência comprova que a maioria das pessoas em situação de liderança possui o ego bastante inflado. Elas são descritas como narcisistas, ou, popularmente, idiotas. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Surrey, existem mais executivos de alto nível do que criminosos com o transtorno do narcisismo. Os pesquisadores os chamaram de “psicopatas bem-sucedidos”.
Além disso, para subir na escada corporativa é necessário ter o dom da manipulação. Normalmente, os antissociais são ótimos em pensar “fora da caixa” e se destacar no mercado de trabalho. Um estudo das Universidades de Stanford, Berkeley e Santa Clara, com 140 pessoas, mostra que os narcisistas também são os melhores CEOs do mercado.
FONTE:http://www.megacurioso.com.br/comportamento/85225-7-atitudes-grosseiras-que-podem-te-trazer-beneficios.htm?utm_source=megacurioso.com.br&utm_medium=internas&utm_campaign=quenteshoje

Você conhece a história por trás desta famosa fotografia?

Se você curte história e tem especial interesse pela Segunda Guerra Mundial e o que aconteceu logo após o final do conflito, então é bastante provável que você já tenha se deparado com a imagem a seguir em algum lugar. Como você pode ver, ela, basicamente, mostra um soldado ajudando um garotinho a passar por uma cerca de arame farpado. No entanto, você conhece o contexto histórico da fotografia e sabe o que, exatamente, ela mostra?
Soldado ajudando criança
De acordo com o pessoal do site Rare Historical Photos, a imagem mostra um soldado da Alemanha Oriental ajudando um menino a passar do lado ocidental ao oriental da cidade de Berlim logo após a criação do Muro de Berlim. Conforme contamos em uma matéria anterior aqui do Mega Curioso — e que você pode conferir através deste link —, a construção do muro foi iniciada na noite entre os dias 12 e 13 de agosto de 1961 e, pela manhã, a barreira improvisada que impedia a passagem de uma parte à outra já havia sido instalada.

Barreira humana

Na verdade, a construção do muro propriamente dito não aconteceu da noite para o dia. Ela ocorreu no decorrer de vários anos, com a constante adição de reforços, blocos e lajes de concreto e torres de observação. No total, havia mais de 300 delas espalhadas ao longo dos mais de 155 quilômetros de barreiras que cercavam os três setores ocidentais da cidade, além dos mais de 40 km que dividiam a parte ocidental da oriental, e tudo era controlado por mais de 11 mil soldados.
Soldados e trabalhadores construindo o Muro de Berlim
Entretanto, na noite do dia 13 de agosto, o início da construção do muro consistiu na instalação de barricadas e cercas de arame farpado como a que você viu na foto. E a coisa toda foi feita de forma tão repentina que muitas pessoas que por uma razão ou outra estavam de um lado da cidade simplesmente não tiveram tempo de atravessar. Com isso, famílias inteiras acabaram sendo separadas.
No caso específico do garotinho da imagem, segundo informações disponíveis no Checkpoint Charlie Museum — museu instalado no mais famoso ponto de checagem que existiu no Muro de Berlim —, ele estava com o pai no lado ocidental da cidade visitando alguns parentes, enquanto o resto da família permaneceu no lado oriental. Mas, como a proibição de atravessar de um setor ao outro aconteceu da noite para o dia, o menino acabou separado de seus familiares.
Mulher acena para familiares a partir do setor ocidental em 1961, após 3 horas de espera
No entanto, o pai do garoto, pensando que seria melhor que a criança crescesse com a mãe, convenceu o filho a caminhar até a cerca e pedir que o soldado o deixasse passar para o outro lado. A imagem captura o momento em que o militar, visivelmente preocupado — uma vez que ele certamente havia recebido ordens estritas de não permitir que ninguém atravessasse a barreira — abre caminho entre o arame farpado antes de levantar o menino e colocá-lo em segurança do outro lado.
O jovem soldado acabou sendo pego por seu superior enquanto ajudava a criança, e é comum encontrar pela internet informações de que ninguém sabe o que aconteceu com o militar depois disso. No entanto, embora existam insinuações de que ele teria sido seriamente punido — e inclusive recebido castigo capital por seus atos —, o rapaz foi removido de sua unidade e repreendido, mas não chegou a ser preso, muito menos morto a tiros.
FONTE:http://www.megacurioso.com.br/historia-e-geografia/102929-voce-conhece-a-historia-por-tras-desta-famosa-fotografia.htm?utm_source=megacurioso.com.br&utm_medium=internas&utm_campaign=quenteshoje

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Você conhece a origem do Dia dos Namorados?


Como você sabe, hoje é o dia em que os casais apaixonados celebram o seu amor, seja com jantares românticos, troca de presentinhos, bombons ou cartões. Mas, apesar de essa data já ter se tornado uma tradição em todo mundo — com algumas variações que contaremos para você ao final da matéria —, você conhece a origem do Dia dos Namorados?
Se você pensava que a comemoração desse dia teve origem recentemente, está enganado. Aliás, existem diversas lendas sobre o possível surgimento da data. Uma delas é da época da Roma Antiga, e estaria relacionada à celebração de um festival chamado Lupercalia, que coincidia com o início da primavera no calendário romano, marcado no dia 15 de fevereiro.
Assim, na véspera dos festejos, era costume que os nomes das moças solteiras fossem colocados dentro de frascos e, depois, sorteados pelos rapazes, para que elas se tornassem suas namoradas durante os dias do festival — ou enquanto o amor durasse!

São Valentim

Fonte da imagem: pixabay
Outra lenda relaciona a origem do Dia dos Namorados ao Dia de São Valentim, celebrado em 14 de fevereiro pelos casais apaixonados na maioria dos países do Hemisfério Norte. Nesse caso, tudo começou quando o imperador Cláudio II de Roma decidiu — no século III — proibir o casamento, para poder dispor de mais homens solteiros que serviriam como soldados nas guerras.
Entretanto, um sacerdote da época, chamado Valentim, discordando das ordens do imperador, continuou celebrando casamentos em segredo. Ao ser descoberto por Cláudio, Valentim foi preso e condenado à morte, e começou então a receber bilhetes e flores de jovens que diziam ainda acreditar no amor. Aliás, enquanto estava na prisão, o sacerdote teria se apaixonado por uma moça cega chamada Asterius, filha do carcereiro que o atendia.
Reza a lenda que Valentim fez um milagre e a moça recuperou a visão, o que não foi suficiente para livrá-lo da morte. Assim, na véspera de sua execução — que ocorreu no dia 14 de fevereiro —, o sacerdote teria escrito uma carta de despedida para a sua amada, terminando com a expressão “seu Valentim”, forma que até hoje é usada em países como os Estados Unidos e a Inglaterra (“your Valentine”) para assinar os cartões de Dia dos Namorados.

Santo casamenteiro

Já aqui no Brasil, o Dia dos Namorados é comemorado todo 12 de junho, e essa data tem uma origem bem menos romântica. Ela teria sido criada por comerciantes paulistas, que decidiram que a véspera do Dia de Santo Antônio — frei de origem portuguesa conhecido pela sua fama de casamenteiro —, que coincidia com a época de menor volume de vendas do ano, seria ideal para impulsionar o comércio.
Assim, no final da década de 40, João Dória, que trabalhava para a agência de publicidade Standart Propaganda, criou o slogan “Não só de beijos vive o amor”, transformando o dia 12 de junho na data em que casais, apaixonados e pretendentes gastam pequenas fortunas para agradar às pessoas amadas.

Curiosidades sobre o Dia dos Namorados

Fonte da imagem: pixabay
  • Muitos rapazes esperam esse dia para fazer seus pedidos de casamento, e a compra de joias também aumenta bastante nessa época do ano;
  • Anualmente, mais de mil cartas endereçadas a Julieta, a eterna amante de Romeu — personagens fictícios criados por William Shakespeare —, são enviadas à cidade italiana de Verona;
  • No Japão, quem presenteia nesse dia são as mulheres, com chocolates e quitutes feitos por elas para os seus prometidos ou pretendentes. Já os rapazes retribuem a gentileza um mês depois, no dia 14 de março;
  • Estima-se que 1 bilhão de cartões sejam “trocados” no Dia dos Namorados só nos EUA, ficando atrás apenas dos cartões enviados no Natal, que alcançam a marca de 2,6 bilhões de unidades;
  • Todos os anos, mais de 50 milhões de rosas são presenteadas por conta dessa celebração.

Conheça Ranavalona, a rainha mais cruel da História, comparada a Calígula


Ramavo nasceu em 1788 em uma família humilde de Madagascar. Seu pai descobriu um complô que mataria o futuro rei do país, Andrianampoinimerina, e acabou com esse esquema. O rei, como forma de agradecimento, resolveu adotar a menina e passou a chamá-la de Ranavalona. O futuro rei inclusive fez com que ela se casasse com seu filho, Radama.
Quando Radama assumiu o trono, Ranavalona seria a mãe do futuro herdeiro da coroa. Como foi a primeira das 12 esposas de Radama, apenas seus filhos seriam considerados na linha de sucessão. Porém, o casal nunca teve filhos, e isso se tornou um grande problema, já que Radama morreu de sífilis tempos depois.
O sobrinho de Radama, Rakotobe, seria o herdeiro neste caso. Porém, a tradição falava que qualquer filho de Ranavalona, mesmo que não fosse comprovado ser filho de Radama, poderia roubar a coroa. Rakotobe planejou matar a prima bastarda e ela descobriu isso. Foi então que treta fedeu...
Ramavo foi adotada pelo rei e se tornou Ranavalona

Coroação e primeiras tiranias

Antes de morrer, Radama tinha aberto Madagascar para missionários cristãos, o que atraiu a ira de muita gente. Por isso, as pessoas achavam que Rakotobe iria seguir os passos do tio, e a galera não estava muito animada com isso. Ranavalona era bastante popular entre o exército e conseguiu convencer o povo que seria uma boa rainha. Então, em 12 de junho de 1829, a rainha-plebeia assumiu o trono.
Seu primeiro ato foi mandar matar Rakotobe e sua mãe. Durante a coroação, ela disse: “Nunca diga ‘ela é apenas uma mulher fraca e ignorante, como ela pode governar um vasto império?’ Vou governar para a sorte do meu povo e a glória do meu nome! Vou adorar deuses, mas aqueles de meus ancestrais. O oceano é o limite do meu reino, e eu não vou ceder nem à espessura de um fio de cabelo do meu reino!”.
E assim foi feito: Ranavalona mandou os missionários cristãos embora de Madagascar, desfez acordos comerciais firmados por seu falecido marido com a França e a Inglaterra, e até entrou em uma batalha marítima contra os franceses.
Logo nos primeiros anos, Ranavalona mostrou que seria uma tirana

Combate ao cristianismo

Ranavalona não estava para brincadeira: se soubesse de alguém que não fosse fiel a ela, a rainha ordenava que a pessoa comesse 3 peles de galinha e uma noz envenedada que a faria vomitar: se o suposto infiel não vomitasse todas as peles, não provaria sua fidelidade. Ela decapitou um amante que se recusou a esse castigo.
Aos estrangeiros, ela não negava a liberdade religiosa em seu país. Porém, ninguém poderia ensinar o povo de Madagascar uma crença que não fosse própria de lá. A pena era clara: a morte! Isso fez com que muitos cristãos fugissem do país, e inúmeros dos que ficaram foram presos, torturados e executados.
Certa vez, ela colocou 15 missionários cristãos para perdurados em cordas sobre um precipício, cortando a sustentação e matando a todos! Em outras ocasiões, ela cozinhava os cristãos vivos! Já em 1845, ela organizou uma expedição de caça a búfalos com mais de 50 mil pessoas do seu reino: 10 mil homens morreram de fome nos 4 meses de caçada; e nenhum búfalo foi ferido.
Morte de missionários em precipício é um dos eventos mais conhecidos de sua maldade

Morte e assombração

Mais tarde, Ranavalona acabou gerando um filho, a quem lhe deu o nome de Rakoto. O rapaz não concordava com a tirania da mãe, inclusive conspirando contra a própria vida dela! Ele nunca conseguiu atingir seu objetivo, e Ranavalona morreu pacificamente aos 80 anos de idade.
Acredita-se que ela tenha sido responsável pela morte de 2,5 milhões de pessoas durante o seu reinado. Em seu funeral, um acidente com um barril de pólvora ainda matou vários espectadores. Muitos consideram isso um final “apoteótico” para uma vida de tantas tiranias.
Rakoto assumiu o trono e conseguiu reverter várias das políticas polêmicas de sua mãe. Ele durou pouco no reinado: ele foi vítima de traição alguns anos após colocar a coroa na cabeça. Essas mudanças de Rakoto fizeram o povo de Madagascar acreditar que Ranavalona estava assombrando o país, descontente com as decisões do filho. Bizarro, hein?
Em outro episódio, durante uma batalha na praia contra os franceses, Ranavalona empalou inimigos na praia para assustar as pessoas

7 estruturas bonitas feitas por animais pequeninos

1 – Mega teia

A teia enorme, embora pareça ter sido construída por uma aranha mutante, é obra dos aracnídeos da espécie Caerostris darwini, nativos de Madagascar.

2 – Pirâmide de gravetos

Construída pela larva de uma mariposa da família Psychidae, a pirâmide vai “subindo” conforme o bichinho vai crescendo em seu interior.

3 – Barraca de folhas

A barraquinha acima também é obra do mesmo bichinho que constrói as pirâmides de gravetos.

4 – Cilindro de galhos

Mais uma vez, o mesmo arquiteto responsável pelas pirâmides e barracas — a mariposa da família Psychidae — surpreende com um cilindro de galhos. Deve ser preguiça de construir algo mais elaborado como os exemplos anteriores.

5 – Gaiola

Feita com as pilosidades de lagartas presas por meio de secreções, a gaiola da imagem é construída pelas mariposas do gênero Cyana.

6 – Barricada

A barricada acima, criada por uma lagarta, é feita de um material bem inusitado: cocô!

7 – Stonehenge de algodão doce

Assim como acontece com o Stonehenge da vida real, os cientistas ainda estão tentando descobrir quem é o arquiteto responsável pela surpreendente estrutura da imagem. Aparentemente, se trata de uma pequena aranha que parece feita de açúcar. Veja:

FONTE(S) 

4 teorias sinistras a respeito da destruição do Universo A teoria mais aceita atualmente pela Ciência para explicar a origem do  Univer...