do mundo sabe que atores, músicos e outros tipos de celebridades possuem uma vida particular e de pessoa comum. Mas muitas vezes é difícil imaginar que os famosos que estamos acostumados a ver na TV ou no cinema possuem um lado de braveza e até mesmo agressividade.
A lista abaixo conta um pouco desse lado obscuro e, muitas vezes, propositalmente oculto das celebridades. Depois de conhecer um pouco mais da vida pessoal desses “figurões”, talvez você pense duas vezes antes de rir das cenas engraçadas que eles são capazes de interpretar.

1. Harrison Ford resgata pessoas com helicópteros

Vamos começar com um bom exemplo. Harrison Ford não apenas foi Han Solo nos cinemas, como também possui uma característica marcante: gosta de ajudar pessoas e, para isso, pilota um helicóptero.
Harrison Ford polindo seu helicóptero antes de voar Fonte da imagem: Reprodução/The Sun
O ator já foi o responsável pelo resgate de um montanhista que ficou desidratado ao escalar a Table Mountain de Idaho, nos Estados Unidos. Depois desse incidente, Ford também participou das buscas de um escoteiro de 13 anos, que se perdeu na floresta, e encontrou o menino. Em ambos os casos, o ator fez tudo voluntariamente e deixou claro para o xerife da região que está disposto a trabalhar dessa forma em qualquer emergência.

2. Samuel L. Jackson, militante pelos direitos civis

Durante a década de 60, Jackson iniciou sua participação no movimento pelos direitos civis apoiando Martin Luther King Jr. Porém, depois que o líder acabou assassinado, o ator resolveu partir para uma militância mais, digamos, direta.
Em 1969, Jackson sequestrou, junto com outros colegas, a diretoria da Morehouse College para exigir que fossem feitas mudanças no currículo e na administração da instituição de ensino. Por incrível que pareça, a ação funcionou e a faculdade de fato adotou as mudanças “propostas” pelo grupo. Porém, Jackson e seus amigos foram expulsos.
Samuel L. Jackson já participou dos Panteras Negras Fonte da imagem: Reprodução/Collider
Ter sido “convidado a sair” da faculdade fez com que Jackson se aliasse aos Panteras Negras e convivesse com ativistas importantes para a conquista dos direitos civis nos Estados Unidos e no mundo, mas cujas estratégias eram consideradas pelos mais conservadores como sendo de “terroristas”. Por isso, Samuel L. Jackson chegou até mesmo a ser investigado pelo FBI, o que acabou assustando o ator e fazendo com que ele voltasse à vida pacata.

3. Christopher Lee era quase um super-herói

Já assistiu ao filme “A Liga de Cavalheiros Extraordinários”, inspirado na graphic novel de Alan Moore? Pois bem, o mundo real teve uma equipe de agentes especiais quase tão fantástica quanto a que foi composta por Capitão Nemo, Dr. Jekyll/Mr. Hyde e o Homem Invisível.
O ator Christopher Lee, que já interpretou Drácula, Saruman e o Conde Dooku nos cinemas, foi membro da Executiva de Operações Especiais, uma organização britânica criada durante a Segunda Guerra Mundial por ninguém menos do que Winston Churchill. Mas a história não acaba por aí: junto com Lee também estava Ian Fleming, o criador das aventuras de James Bond.
Christopher Lee na pele do Conde Drácula Fonte da imagem: Reprodução/HDWallpaper
Como se não bastasse, uniram-se ao time diversas pessoas que serviram de inspiração para a criação de muitos personagens das histórias do agente 007, e a sede da equipe ficava na famosa Baker Street, a rua onde mora a dupla ficcional de detetives Sherlock Holmes e John Watson. Às vezes a vida real é bem melhor do que a ficção.

4. Daniel Day-Lewis, personagem de si mesmo

O ator Daniel Day-Lewis é famoso por se tornar aquilo que deve representar no cinema. Em 1997, quando precisou interpretar um boxeador, ele treinou o esporte com o campeão mundial Barry McGuigan. Mais tarde, o treinador declarou que Day-Lewis poderia ter se tornado um lutador profissional naquele período.
Para interpretar o cadeirante Christy Brown, em “Meu Pé Esquerdo”, o ator se recusava a abandonar a cadeira de rodas após as filmagens. Em “O Último dos Moicanos”, viveu por seis meses de maneira bastante condizente com o personagem: só comia aquilo que conseguia caçar ou pescar, além de ter que limpar o animal sozinho.
Daniel Day-Lewis trabalhou em açougue para papel em "Gangues de Nova York" Fonte da imagem:Reprodução/Miramax
O ator também trabalhou em um açougue de verdade para interpretar Bill the Butcher, em “Gangues de Nova York” e, nas horas vagas, passava o tempo afiando facas, aprendendo a arremessá-las de maneira mortal. No mesmo período, Day-Lewis também praticou a arte de achar confusão com pessoas anônimas na rua, tudo em prol do mesmo personagem.

5. Audrey Hepburn e as mensagens secretas

A atriz Audrey Hepburn protagonizou cenas muito audaciosas na vida real: fazendo parte da Resistência Holandesa, que se opunha à ocupação da Holanda por parte das tropas nazistas, a então jovem dançarina entregava mensagens secretas guardadas em suas sapatilhas de balé. Além disso, ela participou de diversos espetáculos com o objetivo de arrecadar dinheiro para a luta contra as tropas de Hitler.
Fonte da imagem: Reprodução/Classimoviechat
Audrey até mesmo chegou a se encontrar com um agente britânico nas florestas de Arnhem e, quando questionada por um oficial alemão sobre o que fazia naquela região, ela fingiu ser uma frágil moça que estava apenas catando flores ao acaso. Corajosa, não?

6. Mel Brooks desarmava minas terrestres

O diretor, ator e roteirista Mel Brooks possuía um trabalho no mínimo arriscado durante a Segunda Guerra Mundial: engenheiro de combate, o soldado tinha que desarmar minas terrestres para preservar a segurança das tropas que lutavam contra os nazistas.
Fonte da imagem: Divulgação/Amazon

7. Björk de um modo nunca visto

Para finalizar, que tal ver Björk, aquela cantora islandesa sempre tão calma e gentil, perder as estribeiras com uma repórter que a atormentou durante dias?

Nunca se deixe enganar pela doce voz de uma cantora. Elas podem ser muito bravas quando necessário.