X-Men: Apocalipse, o sexto filme da franquia, chega aos cinemas nesta quinta-feira (19) com um gostinho de conclusão, mas a saga mutante ainda está longe de acabar.
Antes mesmo da estreia da nova sequência, sua equipe criativa já andou falando em entrevistas sobre os próximos passos da franquia e para onde ela deve ir a seguir. Confira abaixo o mundo de possibilidades para os X-Men após X-Men: Apocalipse.

Anos 90

Simon Kinberg, roteirista e produtor dos filmes de X-Men, adiantou ao Coming Soon que “o próximo longa será situado nos anos 90”.
Com isso, será respeitada a linha do tempo da nova leva de filmes: X-Men: Primeira Classe se passou nos anos 60, X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido nos anos 70 e o vindouro X-Men: Apocalipse nos anos 80.
Segundo o diretor Bryan Singer, separar os filmes em décadas, “é algo que Simon e eu discutimos há muito tempo, desde que desenvolvemos X-Men: Primeira Classe – que os filmes se passariam de 10 em 10 anos. É uma maneira agradável do público manter uma espécie de controle da linha temporal, além de ser divertido brincar com essas diferentes épocas. Então, é um bom ponto de partida”, justificou.

No espaço

Em entrevista ao Fandango, Singer foi questionado sobre a possibilidade de mandar os mutantes para o espaço na sequência:
“Eu imagino isso”, admitiu. “Outra coisa que acabou sendo introduzida nos quadrinhos, e que ainda não foi explorada nos filmes, é um enorme alienígena, um ser intergalático, dentro do universo dos X-Men. E para mim pode ser divertido, porque eu sou um grande fã de Star Wars e Star Trek, e explorar o universo X-Men sendo capaz de utilizar esse tipo de coisa seria visualmente empolgante”.
Nos quadrinhos, os X-Men viajam ao espaço pela primeira vez na Saga da Fênix Negra, que justamente vem sendo cotada para servir de base ao próximo longa da franquia – mais detalhes a seguir.

Saga da Fênix Negra

Segundo o Heroic Hollywood, Bryan Singer demonstrou interesse em adaptar a clássica “Saga da Fênix Negra”, de Chris Claremont e John Byrne, que já foi contada em X-Men: O Confronto Final. Mas dessa vez, Singer quer deixar a sua “própria marca” na história.
Diretor de quase todos os filmes da franquia mutante, Singer desistiu de comandar o terceiro filme para assumir Superman: O Retorno e foi substituído por Brett Ratner em X-Men 3. A adaptação do cineasta para a Saga da Fênix Negra, porém, deixou muitos fãs frustrados.
Na HQ, Jean Grey é exposta à radiação mortal de uma explosão solar e atinge o potencial máximo de suas habilidades, passando depois a assumir a identidade de Fênix e tornando-se não só um perigo para si mesma como também para o universo.

Crossover com Deadpool

Durante entrevista à Variety, Bryan Singer reconhece que “agora que alteramos a linha do tempo [com X-Men: Dias de um Futuro Esquecido], as possibilidades são infinitas”. Uma delas é de um crossover com Deadpool.
O diretor se mostra disposto em fazer um encontro entre o mercenário desbocado e os mutantes, mas explica que a junção dos personagens não será nada fácil:
“Se você pegar um personagem tão irreverente como Deadpool e conectá-lo com algo tão sério e estabelecido como X-Men, você tem que fazer com cuidado e calma. Caso você coloque todo mundo junto pode resultar um desastre. Tem que se forma de maneira delicada, mas há bastante espaço para isso”.
Por fim, o diretor comentou os rumores de que deixaria a franquia após o lançamento de X-Men: Apocalipse. Tudo indica que Singer não vai abrir mão dos seus mutantes tão cedo.
“Quando você gasta quase duas décadas em um universo, simplesmente dizer ‘Eu acabei’ ou ‘Eu vou abandoná-lo’, não faria sentido para mim. Eu estou muito ligado com esse universo e com esses atores e personagens, seja lá quem interprete eles. Então, nunca diga nunca”, final.
FONTE:http://observatoriodocinema.com.br/noticias/2016/05/x-men-o-que-vira-para-a-franquia-apos-x-men-apocalipse