sexta-feira, 31 de agosto de 2012


Javali: uma ameaça indestrutível


O javali é apenas uma das várias espécies de porcos selvagens existentes no mundo, todavia, se tornou a principal espécie, sendo conhecida por sua alta capacidade de reprodução e por ser capaz de se adaptar facilmente a qualquer tipo de solo. Outra característica deste animal, talvez a mais preocupante em termos de cultivo agrícola, é a sua capacidade de regeneração, isto é, é possível que javalis já extintos em uma determinada localidade voltem a aparecer novamente em número significativamente maior. A prova concreta disso é que Na Grã Bretanha, os javalis foram exterminados ainda em finais do século XIII, mas, na década de 1990, se restabeleceram pequenos grupos selvagens na Inglaterra derivados de animais que escaparam de fazendas de javalis. Outro fato comprovador da grande capacidade de regeneração deste animal ocorreu na Dinamarca e na Suécia, quando foram extintos no século XIX, mas voltaram a partir dos anos 1970. Como último acontecimento citamos a região italiana da Toscana, onde o javali foi extinto devido à agricultura intensiva, e mesmo assim foram detectados animais nos anos 1990.
Como é de se notar, este animal, nativo da Europa, Ásia e norte da África, a muito tempo, causam problemas para a agricultura destes continentes. Há quem diga que no continente americano este animal foi introduzido em 1494 por Colombo em sua segunda viagem, mas o fato é que neste mesmo ano já haviam porcos selvagens nas selvas americanas, e tão logo foi sua adptação ao solo, que em 1499 já eram numerosíssimos e prejudicavam muito as plantações em todo o continente.
No Brasil, os suinos foram introduzidos em 1532 por Martin Afonso de Sousa e, rapidamente surgiram muitos criadores que passaram a comercializar sua carne. Com o consumo de carne, a criação de porcos domésticos aumentou significativamente, o que facilitava a fuga destes animais para as florestas. Um marco histórico, que pode servir como justificativa para a desde então crescente população de porcos selvagens (javalis) no território brasileiro, foi o término da Guerra do Paraguai, quando as fazendas paraguaias foram destruidas pelos soldados e os suínos foram soltos no campo. Até os dias atuais, a região central do Brasil tem porcos selvagens descendentes destes animais.
Deixando a história um pouco de lado e partindo para os dias de hoje, observamos que, apesar da grande quantidade de caçadares desta espécie adentrarem as matas para abatê-los, os porcos selvagens continuam se reproduzindo e crescendo desordenadamente nas matas e fazendas do sul e sudeste do Brasil. Estudos comprovam que o aumento da população de javalis deve-se principalmente à falta de um predador natural, que na Europa seria o lobo e o lince e no Brasil a onça preta (pantera).
Mas, seria mesmo este o fator determinante do aumento populacional desordenado dos javalis selvagens? Fica a pergunta para os especialistas e autoridades competentes responderem.



Fonte: Wikipédia
www.abcs.org.br

Criaturas gigantes na África central

Uma equipe de antropólogos encontraram um enterro misterioso na selva perto da cidade de Kigali Ruanda (África Central). Os restos pertencem a criaturas gigantescas que têm pouca semelhança com os seres humanos. Chefe de grupo de pesquisa acredita que eles podem ser visitantes de outro planeta que morreu como resultado de uma catástrofe.
Segundo os cientistas, eles foram enterrados pelo menos 500 anos atrás. Na primeira, os pesquisadores pensaram que se depararam com os restos mortais de antigos assentamentos, mas sem sinais de vida humana foram encontrados nas proximidades.

Os 40 valas comuns tinha cerca de 200 corpos em si, perfeitamente preservado. As criaturas eram altos – cerca de 7 metros. Suas cabeças foram desproporcionalmente grande e eles não tinham boca, nariz ou olhos.

Os antropólogos acreditam que as criaturas eram membros de um pouso de alienígenas, possivelmente destruído por algum vírus terrestre para as quais não tinham imunidade. No entanto, nenhum vestígio do pouso da nave
espacial ou seus fragmentos foram descobertos.
Esta não é a primeira descoberta deste tipo
No verão de 1937 um grupo de cientistas chineses liderados pelo professor Chi Putei pesquisadas as cavernas do Monte Bayan-Kara-Ula. Dentro eles encontraram esqueletos com cabeças grandes e corpos excessivamente fraco. Perto havia 176 placas de pedra. No centro de cada prato havia um buraco, do qual uma ranhura espiral espalhar-se para o perímetro com alguns personagens nele.
Além disso, as paredes da caverna foram cobertos com imagens do sol nascente, lua e estrelas, com muitos pontos pintados ou pequenos itens, se aproximando lentamente das montanhas e da superfície da terra.

Especialistas em decifrar antigos caracteres escritos foram intrigado com a divulgação das espirais segredo da caverna Bayan-Kara-Ula por duas décadas. Finalmente, o professor da Universidade de Pequim Zum Umniu decifrado várias inscrições.

As letras ranhuras narrado que cerca de 12 mil anos atrás, alguns objetos voadores caiu nas montanhas. Arqueólogos chineses encontraram uma referência aos povos que viviam nas cavernas montanhosas de Bayan-Kara-Ula.

Um cadáver de outro “estrangeiro” foi encontrado por espeleólogos turco. A múmia da idade do gelo estava descansando em um sarcófago feito de material cristalino. A altura da criatura humanóide do sexo masculino não ultrapassou 1 metro 20 centímetros, sua pele era verde-claro, e ele tinha grandes asas transparentes sobre seus lados.

Segundo os pesquisadores, apesar da aparência incomum a criatura mais parecia uma pessoa ao invés de um animal.
Seu nariz, lábios, orelhas, mãos, pés, unhas, eram muito semelhantes às humanas. Apenas os olhos eram muito diferentes, três vezes maior do que os de um ser humano, e incolor, como os olhos de réptil.

Não que há muito tempo em um dos túmulos do antigo Egito uma múmia de um homem de 2,5 metros de altura foi encontrado. Não tinha nariz ou ouvidos, e sua boca era muito larga e não tinha língua.

Segundo o arqueólogo Gaston de Villars, a idade da múmia é de aproximadamente 4.000 anos. Foi enterrado como um nobre egípcio – cuidadosamente mumificados e cercado por servos, alimentos e objetos de arte concebida para a vida futura. No entanto, como foi descoberto, nem todos os objetos em torno da descoberta pertence ao Egito ou mesmo a cultura da Terra. Por exemplo, entre as descobertas foi um disco de metalpolido redondo coberto com caracteres estranhos, um traje feito de metal com os restos de algo parecido com sapatos de plástico, tábuas de pedra e muitos cheios de imagens de estrelas, planetas e estranhas máquinas. O Santuário, onde uma múmia estranha foi encontrada também parece incomum. O enterro foi feito do material desconhecido na antiguidade. A pedra foi literalmente esculpida na rocha de modo que as paredes eram lisas, como mármore polido. Parecia que ela foi cortada por um laser. Aliás, a superfície da pedra foi fundida. O túmulo foi decorado com uma vantagem de substância semelhante.

No entanto, a teoria “alien” não é o único. Segundo alguns pesquisadores, os “gigantes” e “anões” poderia ser um mero ramo lateral da humanidade que já viveram na Terra, mas por alguma razão se tornaram extintas.


9 coisas mais nojentas já encontradas nos lanches mais deliciosos



1 – RATO MORTO NO MOLHO CURRY

  
Quando Cate Barret comprou esse molho apimentado em uma loja próxima a sua casa, ela esperava deixar sua comida mais especial – mas não com o rato morto que veio junto com seu adorado condimento.

Apesar dela ter levado o bicho (e o molho) de volta para a loja e o gerente ter dito que iria investigar o caso, ela nunca recebeu uma resposta.



 
2 – LUVA ENCONTRADA EM UM PÃO



Uma mulher da Irlanda do Norte comprou um pão de forma “peludo”. Depois ela descobriu que isso poderia ser tecido de uma luva de forno. Ela denunciou a fábrica à vigilância sanitária, que descobriu que o lote inteiro de pães estava cheio de fibras de tecido.
 
3 – CABEÇA DE GALINHA ENCONTRADA DENTRO DO MC LANCHE FELIZ

  
Essa já ficou famosa pela internet. Uma mãe, nos Estados Unidos, levou seus filhos de seis e oito anos para comer um Mc Lanche Feliz, no Mc Donalds. Como seu filho de seis anos não comeu seus nuggets, ela decidiu que iria acabar com o lanche.
Ela mal olhava o que colocava na boca, quando seu filho de oito anos avisou para que ela não comesse. Qual foi sua surpresa quando ela encontrou uma cabeça de galinha frita e preparada como um inocente nugget. Agora ela está processando o McDonalds pedindo 100 mil dólares de indenização.
 
4 – FACA ENCONTRADA EM UM PÃO DO SUBWAY
Um homem que mora em Nova York está processando o Subway por ter encontrado uma enorme faca dentro do seu pão (não no meio do sanduíche, mas dentro da massa do pão mesmo).
John Agnesi estava comendo seu sanduíche preferido quando encontrou essa surpresa – ele não comeu nenhuma parte da faca, mas mesmo assim se sentiu mal e acabou no hospital.
 
5 – SAPO MORTO DENTRO DE UMA LATINHA DE PEPSI

Fred DeNegri estava fazendo um churrasco no seu quintal quando abriu uma latinha de Pepsi Diet, sedento por um refrigerante geladinho. Assim que tomou um gole, ficou abismado com o gosto. Ele esvaziou a lata, mas algo parecia preso lá.
Ele levou a lata para a vigilância sanitária e depois recebeu um relatório que identificou a fonte de tanta confusão: era um sapo meio decomposto.
 
6 – DEDO ENCONTRADO DENTRO DE UM PUDIM

Um homem chamado Clarence Stoward comprou uma espécie de flan. Ele levou o quitute para casa e o abriu. Vendo uma espécie de noz em cima do pudim, ele a levou a boca. Imediatamente, ele percebeu que não se tratava de uma noz e sim de um dedo humano.
Você pode imaginar o choque. Segundo o dono da empresa fabricante, Craig Thomas, um empregado perdeu o dedo, mas o pote de pudim foi distribuído junto com os outros antes que ele contasse para alguém.
 
7 – CAMISINHA ENCONTRADA EM SOPA DE MARISCOS

Em fevereiro de 2002 uma mulher estava tomando tranquilamente uma sopa de mariscos no restaurante McCormik e Schmik’s, na Califórnia, quando mordeu algo borrachudo e escorregadio.
Ela pensou que fosse um marisco, mas quando ela cuspiu a “matéria” em um guardanapo e percebeu que se tratava de uma camisinha. Ela processou o restaurante que, por sua vez, tentou jogar a culpa no fornecedor da sopa, mas o juiz decidiu que o culpado era o restaurante.
 
8 – BARATA ENCONTRADA EM SALGADINHO

Um homem estava saboreando seu salgadinho de anchovas da marca Golden Boy e quase comeu essa barata.
Como ela estava coberta como qualquer outro pedaço de salgadinho, ela era indistinguível do resto do lanche. Apesar de ter descoberto esse inseto, ele já havia comido um terço do pacote – então vá saber o que o cara engoliu.
 
9 – COCÔ ENCONTRADO EM SORVETE

  
Uma família acusou chefs de um restaurante de servir cocô no sorvete deles depois que eles reclamaram do barulho do local. O Ministério da Saúde da Austrália, onde aconteceu o evento, confirmou que encontrou material fecal no “gelatto de chocolate”.
O cliente Steve Whyte e sua mulher Jessica ficaram muito doentes depois que comeram a mistureba. Tanto o chef quanto o gerente do lugar se ofereceram para fazer testes de DNA para provarem que não eram os culpados.

via Oddee

9 condimentos que você não sabia que são bons para sua saúde


1. KETCHUP
  
Reduz o risco de doença cardiovascular

Dose diária: 3 a 4 colheres de sopa

O ketchup contém licopeno, um antioxidante poderoso, que pode retardar o processo que leva à aterosclerose. 
Um estudo descobriu que os orgânicos contêm até 60% mais licopeno por grama do que as marcas tradicionais, e tem os mais altos níveis de vitaminas A, C e E.
 
2. MEL DE TRIGO MOURISCO
Combate o envelhecimento

Dose diária: 2 a 4 colheres de sopa

Mel escuro como o trigo mourisco ou mirtilo contém mais antioxidantes, que protegem as células dos efeitos nocivos dos radicais livres e pode reduzir o risco de doenças cardíacas, câncer, declínio cognitivo, e degeneração macular.
 
3. ALECRIM
Elimina substâncias cancerígenas alimentares

Dose diária: 1 a 2 colheres

Alecrim minimiza ou elimina substâncias cancerígenas formadas quando se cozinha alguns alimentos. Antes de grelhar a carne, temperá-la com alecrim pode reduzir substâncias causadoras de câncer entre 30% a 100%. Cientistas obtiveram resultados semelhantes quanto a adicionar alecrim a massas.
 
4. RAIZ-FORTE
  
Desintoxica seu corpo

Dose diária: 1/4 colher de chá

O glucosinolato, composto existente nas raízes e folhas da planta raiz-forte, pode aumentar a capacidade de seu fígado para desintoxicar substâncias cancerígenas e pode suprimir o crescimento de tumores já existentes.
 
5. AZEITE
Aumenta a memória de longo prazo

Dose diária: algumas colheres

O azeite é uma boa fonte de ácido oleico que durante a digestão é convertido em um hormônio (OEA) que ajuda a manter as células cerebrais saudáveis. Um estudo com roedores alimentados com OEA mostrou que eles foram mais capazes de se lembrar como executar suas tarefas do que aqueles que não comeram. 

O OEA ativa a parte do cérebro responsável por transformar as memórias de curto prazo em memórias de longo prazo.
 
6. CANELA
Estabiliza os níveis de açúcar no sangue

Dose diária: 1 colher de chá

Quando se adiciona metade de uma colher de chá de canela a um prato de doce, ocorre um aumento mais lento do açúcar no sangue. 
O tempero aumenta a sensibilidade à insulina, o que permite que você use mais de sua glicose no sangue, mantendo os níveis de açúcar no sangue estáveis – isso minimiza altos e baixos, e para os diabéticos, pode significar que necessitam de menos insulina.
 
7. MOLHO APIMENTADO
Diminui o apetite

Dose diária: um pouco

Capsaicina é a substância que dá ao molho apimentado seu calor. Comer uma refeição com molho por dia não só reduz os níveis de fome, mas também suscita o GLP-1, um hormônio supressor do apetite.
 
8. CHUCRUTE
Facilita a digestão

Dose diária: 1/2 xícara

O chucrute é cheio de bactérias probióticas chamadas Lactobacillus plantarum que podem ajudar a aliviar os gases. Também ajuda pessoas que tem problemas com distensão do estômago e desconforto associado com síndromes que irritam o estômago.
  
9. PIMENTA PRETA
  
Protege contra o câncer

Dose diária: está sendo pesquisada

A piperina, um composto de pimenta preta, pode ajudar a interromper o processo de auto-renovação de câncer. 
Ela limita o número de células-tronco, por consequência limitando o número de células com o potencial para formar tumores.

Fonte:MSN

Top 5 filmes de terror mais assustadores

Você gosta de filmes de terror? Filmes de terror não são fáceis de fazer, nem todos são assustadores - na verdade, às vezes, eles acabam por ser engraçado. Mas há filmes que realmente assustam  e realmente fazem você pensar duas vezes antes de ir à um quarto escuro sozinho à noite! Alguns dos filmes mais assustadores de terror já feitos estão listados abaixo. Confira.

Psicose

Uma das obras-primas de Alfred Hitchcock, "Psicose" é o filme de terror por excelência sobre um serial killer. A história gira em torno de uma jovem envolvida em desvio de dinheiro. O filme é imortalizado pela cena do chuveiro. Um momento de arrepiar, sem dúvida.


O Exorcista

Um dos mais conhecidos filmes de terror de todos os tempos, "O Exorcista" é a história de uma menina que é possuída por um espírito maligno que se recusa a deixar o seu corpo, apesar de vários rituais e métodos desenvolvidos por um exorcista para torná-lo a fugir do corpo da menina. O filme é, sem dúvida assustador com algumas cenas em que a cabeça da menina realiza voltas completas de 360 ​​graus, os ruídos que ela faz ao ser possuído e as várias coisas que o espírito do mal faz a menina é de dar calafrios. Até mesmo para os ateus.

O Sexto Sentido

Dirigido por M. Night Shyamalan, "O Sexto Sentido" é sobre um menino que pode se comunicar com os mortos. O menino procura a ajuda de um psicólogo infantil para ajudá-lo com este problema. Não é um filme de terror atípico, 'O Sexto Sentido' tem um tom diferente e uma mensagem, ao contrário de outros filmes de terror.

A Bruxa de Blair

Um dos filmes mais horripilantes feitos, "A Bruxa de Blair" é em essência uma compilação de imagens de vídeo filmado por três estudantes universitários que vão para os bosques de Maryland para fazer um documentário sobre a lenda local da Bruxa de Blair.

O Orfanato

"O Orfanato 'é sobre uma mãe que volta para sua casa de infância com sua família. Mas em pouco tempo, seu filho começa a falar com amigos "invisíveis" e, em seguida, o inexplicável começam a acontecer. Enquanto a mãe tenta entender as ocorrências fantasmagóricas, uma verdade brutal sobre o passado da casa é trazido à tona. Esse eu assisti e garanto que é um bom filme de terror.

Plástica na vagina vira moda na Paraíba; médicos alertam para riscos



As mulheres estão aderindo a uma moda que pode ser “perigosa”: a cirurgia de correção dos lábios vaginais – a ninfoplastia. O crescimento deste tipo de intervenção tem sido observado por especialistas da cirurgia plástica nos últimos anos, tendo ultrapassado a barreira de 1 milhão de cirurgias por ano nos Estados Unidos e no Reino Unido. No Brasil, o número de cirurgias registrou um crescimento de 50% nos últimos dois anos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Algumas clínicas de João Pessoa chegam a realizar até seis cirurgias por mês e o total de intervenções feitas por seis médicos entrevistados pela reportagem é de 15 cirurgias por mês. Os médicos não divulgaram o valor dessa cirurgia.

O cirurgião plástico Saulo Montenegro diz que há dois anos fazia apenas uma cirurgia a cada 30 dias, mas hoje este número cresceu para seis. Ele atribui o aumento ao fato de que a ninfoplastia está bem mais acessível financeiramente que há 10 anos. “As mulheres estão mais independentes financeiramente, então elas podem bancar uma cirurgia íntima, algo muito pessoal, que antes teriam que pedir aos seus maridos”, analisa Saulo. A cirurgia é recomendada apenas em casos de defeitos congênitos, porém a maioria das mulheres faz a reconstituição por razões estéticas.

Perigos

O cirurgião plástico Antônio de Aracoeli Ramalho adverte que “a cirurgia se feita com critério, tem resultados excelentes, mas se não for realizada de forma adequada pode resultar no endurecimento dos pequenos lábios, gerando dor e desconforto na hora da relação sexual”. Já o cirurgião Saulo Montenegro, acrescenta que uma cirurgia malfeita também acarreta transtornos psicológicos e que, para evitar este tipo de situação, a ajuda médica é essencial: “antes de querer fazer a cirurgia, é recomendável que se procure um especialista credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pois ela pode causar uma deformidade permanente”, alerta Saulo. 

Outra implicação da ninfoplastia é o risco de infecções. O cirurgião Mário Augusto Ferreira disse que a retirada excessiva dos lábios vaginais “pode deixar exposto o trato geniturinário da mulher, causando vaginite ou infecção urinária”.

Várias técnicas 

O cirurgião plástico Wagner Leal – que atua em João Pessoa há cinco anos – explicou que há várias técnicas para os procedimentos que envolvem correções na parte externa do órgão sexual feminino. “Existe a ninfoplastia que é a técnica usada para a correção dos pequenos lábios – que, às vezes, não são tão pequenos assim e causam embaraço – podem interferir no ato sexual e deixar algumas mulheres inseguras. Há outras técnicas para correção da vulva, dos grandes lábios e do monte de vênus”, explicou. 

Segundo o cirurgião, as cirurgias duram em torno de 30 minutos, e, embora as considere de baixo risco, prefere fazê-las em ambiente hospitalar, porque demanda anestesia local e sedação. “Não há maiores complicações, mas o paciente precisa manter abstinência sexual por 30 dias e pode sentir algum desconforto no ato sexual, após esse período e até 60 dias depois. O médico disse que não notou um aumento da demanda em seu consultório e que realiza entre uma e duas cirurgias por mês. Outras cirurgias mais convencionais ainda são as preferidas das mulheres.




Jornal Correio da Paraíba

TOP 10 DOENÇAS MAIS ESTIGMATIZADAS DO MUNDO

O termo “estigma” era usado na Grécia Antiga para designar sinais corporais que desqualificavam o cidadão marcado. Escravos, criminosos e traidores traziam essas marcas nos corpos, como forma de serem discriminados em locais públicos.

Hoje em dia, apesar de não haver uma marca clara nas pessoas, usamos estigmas para categorizá-las segundo normas dentro de conceitos como “normalidade” e “aceitação social”. Ou seja, nós julgamos as pessoas conforme o que considerados “normal” ou “aceito socialmente”.
Já deu pra perceber o erro inerente a tal julgamento. Ainda assim, muitos doentes, não bastasse o sofrimento com sua doença em si, tem que sofrer com esses estigmas também. Confira:

• Disfunção erétil
Nem precisamos falar do estigma que envolve a disfunção erétil. Apesar de ter diminuído nos últimos anos, ainda é muito difícil para os homens admitir a disfunção sexual. De acordo com um estudo de 2010, só metade dos homens com disfunção erétil procura tratamento.

Mas todos deveriam procurar, porque a condição tem tratamento e pode ser curada ou remediada.
A impotência atinge até 25 milhões de brasileiros acima dos 18 anos pelo menos uma vez na vida. O número é maior em homens na faixa etária dos 40 anos. Todo ano, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, um milhão de casos são registrados no país.

Só que o Centro de Referência da Saúde do Homem, órgão da Secretaria de Estado da Saúde em São Paulo, por exemplo, só recebe cerca de 300 pacientes com o problema por mês. Mais: eles descobriram que 90% deles são sedentários – a ponto de não fazerem exercício nem de fim de semana – e 40% deles também são fumantes. Se você não quiser procurar tratamento, pelo menos converse com seu médico, porque algumas mudanças no estilo de vida já podem lhe ajudar.

• Problemas “masculinos”
Alguns transtornos femininos vêm com sintomas que desafiam nossas definições culturais da feminilidade. A Síndrome dos Ovários Policísticos, um distúrbio hormonal que pode causar infertilidade e diabetes, é muitas vezes marcada por pelos faciais excessivos. Distúrbios como hiperidrose, ou transpiração excessiva, podem ser estigmatizantes para ambos os sexos.

Mas a desordem vem com bagagem extra para as mulheres. “É uma espécie de ‘característica mais masculina’ do que feminina, por isso é bastante constrangedora”, diz Sophia Wastler, que tem hiperidrose. Porém, a maioria desses problemas tem tratamento e as pessoas perdem mais sofrendo em silêncio do que buscando um médico.

• Câncer de cólon
Câncer colorretal é bastante curável se detectado nos estágios iniciais. Porém, como não tem sintomas, ou mesmo que os sintomas apareçam, os pacientes podem ficar constrangidos em falar sobre diarreia e movimentos intestinais anormais com seus médicos, esses tumores acabam crescendo e se tornando mais complicados.

A melhor forma de diagnosticar o câncer de cólon é a detecção precoce, com testes como a colonoscopia. Mas as pessoas não fazem esses tipos de exame; ninguém quer se submeter a tal desconforto, ou constrangimento.

Nesses casos, falar sobre “doenças escondidas” pode ajudar as pessoas a procurar assistência médica. De acordo com um estudo americano de 2003, mais pessoas fizeram colonoscopia depois de um especial que passou na TV que conscientizava de sua importância.

• Intestino irritável e inflamado
Qualquer doença relacionada com excreção corporal vem amarrada em algum tipo de estigma. A Síndrome do Intestino Irritável (SII) e a Doença Inflamatória Intestinal (DII) não são exceções. Esse último é um conjunto de síndromes, todas marcadas pela inflamação dos intestinos. O primeiro é marcado por dor intestinal, cólicas e prisão de ventre ou diarreia, mas sem a inflamação.

Em geral, os pacientes com SII se sentem mais estigmatizados. A diferença pode ser porque, sem uma causa clara física, eles podem sentir que a sua doença não é levada tão a sério.

• Hanseníase / Lepra
Lepra, ou hanseníase, é uma das doenças mais “fantasiadas” na imaginação do público. Alguns dos mitos mais comuns são de que a doença é extremamente contagiosa e de que partes do corpo do doente simplesmente caem.

Aqui cabe um famoso “nada a ver”. Mais de 90% das pessoas que entram em contato com as bactérias que causam a lepra combatem a doença sem sintomas e sem se tornarem contagiosas (embora seres humanos possam pegar a doença por contato próximo com tatus). A doença também é curável com antibióticos. Se o doente não procurar tratamento, pode ser que tenha lesões na pele, mas, não, suas mãos, pés e nariz não vão simplesmente cair. Pesquisadores sugerem que tal lenda nasceu porque a condição pode causar dormência, colocando as pessoas em maior risco de lesões acidentais ou amputação.

Enfim, está na hora de tais crenças absurdas como essa saírem de cena. Muitas vezes apelidada de “doença do estigma” (mesmo “leproso” virou termo proibido, pelo preconceito a ele associado), a lepra foi tratada como sinal de impureza ou pecado por muitos anos, e quem já leu histórias antigas, principalmente bíblicas, sabe que a regra durante séculos foi discriminar os doentes e privá-los do convívio social. Se, por um lado, podemos perdoar nossos antepassados por eles não terem informação, ignorância hoje não é mais desculpa.

• Psoríase
A psoríase é uma doença imune crônica que provoca pele escamosa, manchada e/ou rachada. Essas marcas podem ser difíceis de esconder, e muitas vezes constrangedoras para os doentes. Seu embaraço é multiplicado por pessoas que veem a psoríase e se afastam do doente, acreditando equivocadamente que a doença é contagiosa.

Como uma das condições mais estigmatizadas do mundo, afeta bastante a vida dos pacientes. De acordo com uma pesquisa realizada em 2008 pela Fundação Nacional de Psoríase nos EUA, 58% das pessoas com a condição disseram que se sentiam envergonhados, e um terço disse que limitava suas interações sociais e encontros por causa da psoríase.

• HIV/AIDS
Dá para enumerar diversos estigmas dessa doença: “doença de gay”, de comportamento promíscuo, de “drogado”, "desleixado(a)" e etc. Aparecendo no início dos anos 80 como uma síndrome misteriosa, se tornou mais uma daquelas doenças em que “culpamos a vítima”.

• Obesidade
O estigma de gordura tornou-se global. De acordo com um estudo de 2011, publicado na revista Current Anthropology, quase não há culturas que não associem a obesidade com preguiça e gula, apesar do fato de que muitas dessas mesmas culturas também veem gordura como um sinal de riqueza.

Muitos do que tem vergonha do excesso de peso dizem que são preocupados com a saúde. Mesmo que seja esse o caso, a vergonha saiu pela culatra, pois pesquisas descobriram que a vergonha e o estigma apressam o declínio físico em pessoas obesas.

• Câncer de pulmão
Como a obesidade, esse câncer é uma condição que as pessoas tendem a culpar a vítima por ter a doença. A ligação entre fumar cigarros e câncer de pulmão leva as pessoas a acreditar que os que sofrem do câncer “provocaram isso” em si mesmos. Mas, na verdade, milhares de pessoas que nunca fumaram têm câncer de pulmão a cada ano. Além disso, pessoas que fumaram não são menos dignas de tratamento do que as que nunca fumaram: não cabe a nós julgar quem vive e quem morre, não é mesmo? O direito a tratamento médico é previsto em lei para todos os cidadãos.

•  HPV
O papilomavírus humano (HPV) infecta a pele ou mucosas, muitas vezes de forma assintomática. Ele pode causar verrugas vaginais, e algumas cepas do vírus podem causar câncer cervical em mulheres, o que o torna uma perigosa doença sexualmente transmissível (DST).

Existe até vacina para o vírus, mas é difícil para os governos fazerem campanhas ou a tornarem obrigatória, porque a transmissão da doença é através do contato sexual. Especialistas argumentam que a vacina é mais eficaz antes da pessoa tornar-se sexualmente ativa, mas há quem diga que torná-la obrigatória ou incentivá-la pode estimular os adolescentes a se engajarem em atividade sexual precoce. Ao mesmo tempo, “melhor prevenir do que remediar”, não é mesmo? Tirar um pouco do estigma da doença poderia ajudar na conscientização com responsabilidade.




Adaptado de:        Hypescience  

Revista Sexy Especial :: Mari Lopes Mari Lopes  nua na Revista Sexy Especial de abril. A musa do Flamengo nos mostra como é fácil ...