quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Imagem do Dia: Ondas de rádio emitidas por humanos estão a 1,88 quatrilhão de km da Terra

  Desde a invenção do rádio, mais de um século atrás, o homem transmitiu ondas para o espaço na esperança que alienígenas em nossa vizinhança pudessem ouvir.
No entanto, apesar das ondas terem viajado 200 anos-luz para todas as direções, elas precisam viajar mais 118.800 anos luz para que toda a Via Láctea possa “escutar” o som emitido.
Na foto, o pequeno ponto amarelo é a Terra. É possível observar o pequeno caminho que as ondas de rádio percorreram desde 1895 e quando consideramos que existem bilhões de galáxias no Universo, a busca por vida extraterrestre usando este método certamente é algo muito improvável.
  Apesar disso, esta distância não é pouca coisa. Levando em conta que, na velocidade da luz, poderíamos pousar em Marte com apenas 4 minutos. Um ano-luz tem 9,4 trilhões de quilômetros, logo as ondas de rádio que os humanos emitiram desde a primeira transmissão estão a 1 quatrilhão e 880 trilhões de km de distância.

Quinteto de Stephan: 5 galáxias “encurraladas” em um canto do Universo correm risco de colisão

Com todo o espaço existente no Universo, é de se estranhar que 5 galáxias “briguem” por um lugar.
  Esta imagem impressiona astrônomos por mostrar 5 galáxias que parecem estar encurraladas, como se brigassem por espaço ou estivessem próximas de colidirem. Esta aproximação demasiada não é algo bom, para nenhuma delas. Uma colisão deste tipo, em alta velocidade, espalharia gás, poeira e intensa radiação para todo lado, destruindo estrelas.
Geralmente, quando galáxias são vistas amontoadas umas sobre as outras, existe uma ilusão de óptica. No caso da foto, as galáxias estão milhões de anos-luz de distância uma das outras.
Nesta imagem é possível observar com mais detalhes a interação entre as galáxias. Foto: Reprodução/NASA
Há cinco galáxias na imagem – os dois pontos brilhantes amarelados quase ao centro são duas galáxias distintas. As duas formam o que os cientistas chamam de grupo de galáxia compacta. Elas foram chamadas originalmente de Quinteto de Stephan, a NASA explica:
Elas estão a 300 milhões de anos-luz de distância da Terra e apenas 4 destas 5 galáxias estão realmente presas em uma dança cósmica de repetidos encontrados íntimos. As galáxias NGC 7319, 7318A, 7318B e 7317 se interagem, podendo formar loops distorcidos e caudas devido a influência de marés gravitacionais. Mas a galáxia que predomina com brilho azulado, a NGC 7320, está mais perto de nós, com apenas 40 milhões de anos-luz, não fazendo parte desta interação”.
  Colisões em altas velocidades não são comuns entre galáxias. Nestes eventos, estrelas são rasgadas e uma imensa quantidade de gás cósmico é expulso para todos os lados do espaço. A “carnificina intergaláctica” pode ocorrer se a NGC 7318B cair no centro do grupo, em uma velocidade de milhões de quilômetros por hora.
De acordo com as informações liberadas pela NASA, uma colisão como essa formaria uma nova galáxia com mais de 100 aglomerados de estrelas, cada qual composta de milhões de estrelas.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Mistérios antigos e jamais desvendados que envolvem a vida extraterrestre


Eu Haunebu2-07
De acordo com muitos arqueólogos, os teóricos  e cientistas, a Terra foi visitada no passado por extraterrestres com o conhecimento superior, mudando para sempre o curso da história humana. E se fosse tudo verdade? Muitas perguntas, teorias e pesquisas tem sido criado sobre este tópico. Como a consciência e a curiosidade de muitas pessoas começaram a crescer. Novas descobertas sobre o tema  foram expostos através da plena pesquisa sobre ele, perguntando quem, o quê, quando, onde, porquê e como.Muitos curiosos e brilhantes indivíduos ocupados juntaram-se para descobrir um mistério. Há muitos indícios fortes. Mas, no final, no que você acredita ? Você é o juiz.

10
As Linhas de Nazca
 Linhas de Nazca
Arrastado para um patamar elevado no Deserto de Nazca do Peru, um grupo de desenhos antigos que se estende mais de 50 milhas tem surpreendido os arqueólogos há décadas. Junto com linhas simples e formas geométricas, desenhos de animais, aves e humanos também foram feitos, alguns medindo 600 metros de diâmetro. De seu tamanho colossal, os desenhos só podem ser vistos e apreciados no ar – e não há evidência de que o povo Nazca inventou máquinas voadoras. Segundo os teóricos, os números eram usados ??como diretrizes para naves, para que as mesmas pudessem pousar, e as linhas serviram como pistas.

9
Vimanas
 Vimana
Muitas histórias em sânscrito, que foram escritos na Índia mais de dois milênios atrás, contêm informações sobre máquinas voadoras místicas chamadas “Vimanas”.Comparando as semelhanças entre as descrições de Vimanas e as pessoas que observaram OVNIs,  teóricos têm sugerido que a Índia foi visitado no passado por astronautas de outros planetas.

8
Pirâmides de Gizé
 3 Pirâmides de Gizé-Of-
Antigos teóricos acreditam que alienígenas visitantes de outros planetas ajudaram os seres humanos a  construirem maravilhas arquitectónicas como A Pirâmide de Gizé, do Egito. Não só é um feito incrível  de engenharia para a época, mas que se situa na interseção das mais longas linhas de latitude e longitude. Como seria possível?Será que os construtores das pirâmides já entendiam que  a Terra era redonda e suas dimensões?

7
Teotihuacan
 Teotihuacan2 1024
Antigos teóricos alienígenas têm apontado que alguns monumentos antigos demonstram um conhecimento profundo de outros planetas. A Pirâmide do Sol, em Teotihuacan do México, está no centro de um complexo de pirâmides, cada uma alinhada com um planeta no sistema solar.

6
Os sumérios
 Sumer-sumérios-Mesopotâmia-Iraque
Os sumérios são uma das mais antigas civilizações conhecidas pelo homem. Os sumérios acreditavam que eles foram criados pelos Annunaki, que foi um grupo de ETs. Os sumérios acreditavam que os Annunaki vieram das estrelas para o planeta Terra para a mina de ouro. De acordo com mitos antigos, os Annunaki necessitariam dos trabalhadores de minas de ouro, para que eles geneticamente pudessem  modificar e criar os sumérios (ou seres humanos).
Sarcófago de Pacal
 18Dcafc5Ac08
Do sul do México, Pacal, o Grande, governava a cidade maia de Palenque, durante o século VII. Ele foi enterrado dentro de uma pirâmide chamada Templo das Inscrições. A tampa esculpida de seu sarcófago tornou-se uma obra clássica da arte maia e também provam e evidênciam fatos apontados pelos antigos teóricos . Na sua opinião, Pacal é retratada em uma nave durante a decolagem, com a mão sobre um painel de controle, seu pé em um pedal e um tubo de oxigênio em sua boca.

4
Mahabharata e Ramyana
 0038 SB5-2-4
Estes são antigos épicos indianos que falam sobre uma grande batalha com os homens em máquinas voadoras, como explosões nucleares e grandes armas poderosas. Escrito mais de 2000 anos atrás. São apenas uma boa história ou eles testemunharam algo no céu naquela época? Há também interessantes paralelos a este conceito na Bíblia.

3
Puma Punku
 3696060512
Localizado na América do Sul, no planalto boliviano, Puma Punku é um campo de ruínas de pedra espalhadas com enormes blocos finamente esculpidos. Obras tão precisas em grande escala, as quais  teriam sido quase impossíveis sem ferramentas modernas e máquinas, mas as ruínas contém mais de 1.000 anos de idade. Antigos teóricos alienígenas têm sugerido a hipótese de que os extraterrestres com as técnicas de engenharia avançada criaram o site ou aconselharam as pessoas que as construíram. Os Stones de Pumu Punku são feitas de granito e diorito.Não  só  realmente difíceis de cortar, mas elas também eram extremamente pesadas. Uma dessas pedras chega a pesar 800 toneladas!

2
Aliens e do Terceiro Reich
 Eu Haunebu2-07
Exércitos invasores de poder quase invencível, armas incríveis destinadas a intimidar e aniquilar. Durante a segunda guerra mundial, a Alemanha possuía a tecnologia  militar  mais avançada do mundo. Armas, como o avião a jato, bombardeiros e mísseis guiados de precisão, todos concebidos para trafegar ao longo da Europa. Eles desenvolveram o míssil de cruzeiro em primeiro lugar, o homem-bomba zumbido V1 e V2 o – o primeiro míssil balístico. Cientistas alemães eram a inveja do mundo, mas o que os fez tão avançados? Eles simplesmente foram mais espertos do que os outros? Eles estavam simplesmente visualizando textos antigos não como mitos lendários, mas como fonte de fatos históricos e científicos.Os nazistas foram os melhores estudiosos orientais do mundo, de maneira que traduziram textos antigos, como o sânscrito hindu no alemão.
Em 1939, cientistas alemães inventaram suas aeronaves próprias disco voador  e chamaram “Haunebu”. Quando o partido nazista varreu  o poder em 1933, a Sociedade Vril encorajada por Hitler e seus capangas  financiaram uma pesquisa mundial de tecnologias alternativas antigas. Cientistas alemães e pesquisadores vasculharam o planeta a procura de textos antigos e relíquias, como o Santo Graal e o arco da aliança..

1
Flor da Vida
Terra-1
A Flor da Vida era conhecida em todo em tempos antigos, ocorridas no Templo de Osíris, Roménia, Israel, China e muitos outros lugares. Tudo no universo é geométrico, o seu povo, árvores, animais, planetas, sistemas solares, estrelas, o nome dele. Tudo no universo vem fora deste padrão único. O Metatrons forma cubo da flor da vida que forma os sólidos platônicos, os quais são cinco (Tetrahedron, hexaedro, octaedro, dodecaedro, icosaedro), que compõe todo o universo. Cada elemento da tabela periódica dos elementos tem uma relação geométrica a um dos cinco sólidos platônicos. Então, tudo que a ciência moderna sabe sobre os elementos e a realidade são amarrados para os sólidos platônicos, que vem do cubo Metatrons, que é formado a partir do fruto da vida, que vem da flor da vida.
Obs: Os fatos acima em nada expressão o opinião do escritor dessa matéria, são apenas fatos revelados que creio eu estimularam o debate dos leitores.

O mistério das pirâmides e o grande enigma de Órion

Alguns egiptólogos consideram-na como sendo monumento funerário e outros como uma espécie de observatório astronómico.
Sua orientação particular e diversas características de sua arquitectura, nos fornecem indicações assombrosas sobre o conhecimento dos egípcios no que concerne aos movimentos dos astros no céu, diversas medidas importantes, a posição de certos corpos celestes etc… Mas não basta dizer que a Grande Pirâmide foi construída para testemunhar os acontecimentos dos antigos sábios. Seria minimizar seu papel e sua importância. Este monumento devia reproduzir todos os traços do Universo, sendo destinado à ser dele (Universo) o “duplo”, o -KA-. Da mesma forma que o Universo veio à vida ao apelo do Divino Logos, a Pirâmide representava a primeira montanha que emergiu da massa das águas primordiais do NUM. A montanha primordial ATZLAN dos Astecas do México era uma reminiscência que aparentava a mesma ideia.
As Pirâmides eram cercadas ou por uma fossa cheia de água, ou por um muro evocando por sua forma o signo hieroglífico designando a água.
A ideia dos construtores era portanto a mesma: representar a montanha primordial aparecendo fora da massa das águas. O próprio nome da pirâmide, “pyrmus”, significava : “saindo ao ser”.
Encontramos a mesma raiz em diversas palavras que tinham relação com a manifestação do poder criador. Por exemplo, o “nascimento” se dizia: “per-msb”, que significava literalmente “SAIR DA PORTA”. O LIVRO DOS MORTOS era chamado “per-m-khrou”, isto é, “a saída para a luz”. ”Per-Khrou” era o nome do poder criador do verbo, que, “chamava à vida” um objecto inanimado.
A própria forma da pirâmide, representava um raio de sol petrificado, fixado permanentemente à terra, e sobre a qual o sol “repousa por um momento devorando sua sombra”. A pirâmide constituía pois, simbolicamente, uma parte do corpo do sol. A razão pela qual a pirâmide tornou-se o lugar de sepultura é evidente, pois todas as preces do morto eram no sentido de que fosse admitido na barca solar afim de atravessar, as sombrias passagens do DUAT. Parece lógico que, para que suas preces fossem ouvidas, ele devesse ser sepultado numa construção que representa ela própria um “raio de sol”.
Isto concerne à quase totalidade das pirâmides que encontramos no Egito, e que são, com efeito, monumentos funerários construídos sobre câmaras contendo um sarcófago.
Mas isto não concerne absolutamente à Grande Pirâmide de Gizé, a única que foi construída, desde o fundamento até o cimo, com a precisão requerida por um instrumento, uma jóia e que encerra para toda a eternidade, em cada uma de suas medidas, as correspondências essenciais com o Universo. Todas as outras pirâmides eram reproduções grosseiras da forma geral da Grande Pirâmide, sem ter dela nem a precisão, nem a execução perfeitas.
Este monumento eterno, além de seu papel de resumir conhecimentos astronómicos, era destinado a servir de santuário para o culto solar, no qual se realizava o Mistério da mais alta Iniciação.
   
Grande Pirâmide e Câmaras
O corredor de entrada desce num ângulo de aproximadamente 26º. Este corredor vai de encontro a um outro que sobe segundo um ângulo sensivelmente igual. Este se divide, a certa altura, em dois corredores que levam, um a uma galeria no teto elevado, chamada : “A GRANDE GALERIA”, a qual conduz à “CÂMARA DO REI”, e outra horizontal, a uma outra câmara conhecida sob o nome de “CÂMARA DA RAINHA”.
Se compararmos a disposição destes corredores com as passagens figuradas sobre as pinturas murais que representam o trajeto do sol através do “HADES”, não se pode deixar de notar pontos comuns.
A entrada simboliza a PORTA DOS INFERNOS onde o morto desce, desaparecendo na obscuridade entre as montanhas de Abidos. A descida prossegue até o encontro com o CORREDOR ASCENDENTE.É a hora do julgamento.Este, em razão dos pecados cometidos em sua existência encarnada, é condenado à destruição, ou, como diz o texto do “Am-Duat”"vai para a região de Soker” (o deus da terra), desliza ao longo da descida que representa ofalso caminho RESTAU.Ele cai no fosso e é tragado sob o monte de areia de Soker.Aquele, que ao contrário, provou por sua vida direita que é digno da vida eterna, merece a recompensa da ressurreição e se eleva pela passagem ascendente até a nova bifurcação.A passagem ascendente é chamada no LIVRO DOS MORTOS: “Caminho da Verdade nas Trevas”. Quando chega a este ponto, lhe é deixada a escolha. A porta que se abre para o corredor horizontal representa a porta HADES no mau caminho RESTAU. Este corredor conduz à câmara das “coisas secretas de RESTAU”, através da qual o deus (preparando sua ressurreição) não passa, mas (os que estão nesta câmara) ouvem sua voz”. (Am-Duat-4ªdiv.)
II – O LIVRO DOS MORTOS chama esta câmara: “CÂMARA DO 2º NASCIMENTO”. Isto significa que, apesar de aqueles que escolheram este caminho tenham renunciado à elevação suprema predestinada, lhes é permitido “ouvir a voz do Logos” e eles estão conseqüentemente capacitados a reparar seu erro, implorando a Deus que lhes conceda a permissão para alcançar o caminho verdadeiro.
Resta “A GRANDE GALERIA”, chamada no LIVRO DOS MORTOS: “O CAMINHO DA VERDADE PARA A LUZ”. É a ascensão para o lugar da ressurreição. Ele representa o trajecto do sol se elevando para o lugar de seu nascimento nas montanhas orientais. Este lugar misterioso do nascimento do Sol é simbolizado pela “CÂMARA DO REI”. O teto da passagem horizontal que conduz a esta câmara é rebaixado por três enormes pedras que obrigam aquele que quer penetrar na câmara a abaixar-se muito, por três vezes. Esta passagem é chamada no LIVRO DOS MORTOS: “VESTÍBULO DO TRÍPLICE VÉU”. Esta passagem impõe o último obstáculo antes da alma ser definitivamente admitida no lugar da ressurreição, que o LIVRO DOS MORTOS chama de: “A CÂMARA DA TUMBA ABERTA”. Um sarcófago de granito de bela feitura se encontra na CÂMARA DO REI.
Não há tampa para esta “TUMBA ABERTA”; ela jamais foi utilizada para conter o morto e jamais foi destinada a este uso.
Um outro traço importante que caracteriza a Pirâmide de Gizé, é seu perfeito sistema de ventilação. Nenhuma outra pirâmide, nenhuma outra tumba do Egito, foi provida de ventilação de espécie alguma. E isto é perfeitamente compreensível, pois as tumbas eram feitas para conter corpos mortos que “não respiram”. Nenhum ser vivo podia penetrar numa tumba após os funerais, pois ela era selada e sua entrada obstruída por pedras; ela se tornava um “lugar secreto”, a morada do morto. O simples fato da existência de um sistema de ventilação instalado na Grande Pirâmide deveria ter chamado a atenção e mostrar que este monumento não era destinado aos mortos, mas ao uso de pessoas vivas, que tinham necessidade de respirar.
É preciso ter presente na mente que as representações do Duat foram compostas pelos sacerdotes da época tebena (XI e XX Dinastia) quando o dogma foitornado muito complexo.
**Tudo o que foi escrito é baseado em documentos autênticos e não é de forma alguma baseado em especulações, nem em imaginação fantástica.
Marisa Castello Branco
III – AS PIRÂMIDES E O MISTÉRIO DE ÓRION
As pirâmides de Gizé têm estimulado a imaginação humana. Quando foi erguida, a Grande Pirâmide tinha 145,75 m de altura (com o passar do tempo, perdeu 10 metros do seu cume). O ângulo de inclinação dos seus lados é de 54º54′. Sua base é um quadrado com 229 m de lado. Mas, apesar desse tamanho todo, é um quadrado quase perfeito – o maior erro entre o comprimento de cada lado não passa de 0,1%, algo em torno de 2 cm, o que é incrivelmente pequeno. A estrutura consiste em mais de 2 milhões de blocos de pedra, cada um pesando de duas a 20 toneladas.
Na face norte fica a entrada da pirâmide. Um número de corredores e galerias leva ao que seria a câmara mortuária do rei, localizada no “coração” da estrutura. O sarcófago é de granito preto e também está orientado com as direcções da bússola. Surpreendentemente, o sarcófago é maior do que a entrada da câmara. Só pode ter sido colocado lá enquanto a construção progredia, um fato que evidencia a complexidade do projecto e como tudo foi cuidadosamente calculado.
São cálculos assombrosos. Por exemplo, se você tomar o perímetro da pirâmide e dividi-lo por duas vezes a sua altura, chegará ao número pi (3,14159…) até o décimo quinto dígito. As chances de esse fenómeno ocorrer por acaso são quase nulas. Até o século 6 d.C., o pi havia sido calculado só até o quarto dígito.
E isso é só o começo. A Grande Pirâmide pode ser a mais velha estrutura na face do planeta, é a mais correctamente orientada, com seus lados alinhados quase exactamente para o norte, sul, leste e oeste. É um mistério como os antigos egípcios conseguiram tamanha precisão sem utilizar uma bússola – assim com é incrível que até agora ninguém tenha aparecido com uma explicação para o enigma.
Ao que parece, todas as construções na planície de Gizé estão espectacularmente alinhadas. No solstício de verão, quando visto da Esfinge, o Sol se põe exatamente no centro da Grande Pirâmide e de sua vizinha, a pirâmide de Quéfren. No dia do solstício de inverno, visto da entrada da Grande Pirâmide, o Sol nasce exactamente do lado esquerdo da base da cabeça da Esfinge e passa toda a cabeça até se pôr ao lado direito de sua base.
A geometria das três pirâmides tem sido uma fonte de confusão por muitos anos, por causa da maneira aparentemente imperfeita com que foram alinhadas. É curioso, porque foram os egípcios os inventores da geometria.
Por outro lado, a pirâmide está colocada num lugar muito especial na face da Terra – ela está no centro exacto da superfície terrestre do planeta, dividindo a massa de terra em quadrantes aproximadamente iguais. O meridiano terrestre a 31º a leste de Greenwich e o paralelo a 30º ao norte do equador são as linhas que passam pela maior parte da superfície terrestre do globo. No lugar onde essas linhas se cruzam está a Grande Pirâmide, seus eixos norte-sul e leste-oeste alinhados com essas coordenadas. Em outras palavras, a Grande Pirâmide está no centro da superfície terrestre. Ela é, por assim dizer, o umbigo do mundo.
Muitos arquitectos e engenheiros que estudaram a pirâmide concordam que, com toda a tecnologia de hoje, não conseguiríamos construir uma igual. Será ? Às vezes as pessoas preferem acreditar em qualquer coisa menos na capacidade do génio humano. Foi com essa intenção que, em 1944, um grupo de arqueólogos tentou construir uma réplica da pirâmide, sem usar a tecnologia moderna, nem mesmo a roda, mas seguindo uma escada proporcional de tamanho, tempo e número de operários 40 vezes menor. Isso resultaria justamente nos 10 m que faltam ao cume da Grande Pirâmide.
Cordas e varetas serviam como instrumentos para medição e demarcação do terreno, as pedras foram cortadas a cinzel nas pedreiras distantes, transportadas de barco e empurradas até o local da empreitada, ao lado de Quéops. O sistema utilizado para erguer as pedras foi uma combinação da rampa com as alavancas. Tudo como nos velhos tempos.
Para surpresa geral, as pedras foram se encaixando com precisão milimétrica e a construção progrediu, apesar dos atrasos provocados pelo desconhecimento do know-how da época, que teve de ir sendo desvendado na base da tentativa e erro. O que frustrou o sucesso da empreitada foi o tempo. Não deu. Se a equipe dispusesse de alguns dias a mais, além dos 45 dias determinados, teria construído uma Grande Pirâmide em escala.
Robert Bauval e Adrian Gilbert tem um estudo astronómico sobre as pirâmides. Os dois publicaram suas descobertas preliminares no livro THE ORION MYSTERY, editado pela Heinemann. Eles também fizeram um documentário para a TV em 1995, lançando uma nova e intrigante luz sobre o assunto. Os pontos de vista expressados no livro e no documentário foram inicialmente desprezados pelos egiptólogos acadêmicos, mas, conforme as evidências foram reforçando sua teoria, mais e mais gente a foi aceitando.

O fantástico caso Higgins



Os fantásticos aparecimentos de objetos voadores de procedência desconhecida, que aumentaram ao longo de 1947, abriram portas às ondas sucessivas e aumentaram o interesse pela Ufologia. A dúvida sobre a real natureza daqueles objetos acelerou bruscamente os estudos sobre o tema. Alguns cientistas e praticamente todos os governos, perplexos, começaram a ocultar as provas. Projetos de acobertamento em massa foram aplicados principalmente nos Estados Unidos e Rússia. Especula-se que, atualmente, tais projetos estendem-se por diversas regiões do mundo.
A maioria dos casos relatados sofreram um intenso processo de arquivamento em departamentos secretos. Não foi diferente com o Caso Higgins, ocorrido a 23 de julho de 1947.
O topógrafo José Higgins estava reunido com vários operários em Bauru, interior de São Paulo, quando ouviu um silvo extremamente agudo. Passados alguns segundos viu um objeto de grandes proporções aterrizar bem próximo ao grupo. Seu diâmetro era de aproximadamente 45 metros, tinha um aspecto metálico, com coloração cinza esbranquiçada e se mantinha em terra sobre pés curvos igualmente metálicos.
Os colegas de Higgins aterrorizaram-se e logo trataram de ir embora, deixando-o completamente sozinho. Do artefato desceram três seres com cerca de dois metros e quinze centímetros de altura. Segundo depoimentos, vestiam roupas transparentes que lhe cobriam todo o corpo. Sob esta vestimenta, tinham trajes de cores vivas e intensas. Carregavam uma espécie de caixa metálica nas costas. Tinham um físico esbelto, entretanto suas pernas eram desproporcionais. Não tinham cabelos, a cabeça era volumosa, sem sobrancelhas e com grandes olhos amendoados.
Os estranhos seres tentaram colocar Higgins na nave. Não obtendo sucesso, lhe apontaram uma arma que se parecia com um tubo. Resistindo cada vez mais ao ataque, Higgins percebeu que as misteriosas criaturas eram sensíveis à luz solar, então, passou a se proteger sob o sol. Lançou pedras, esquivou-se por diversas vezes mostrando sua agilidade.


Os supostos alienígenas deram a entender que desistiram do seqüestro traçando no solo oito orifícios. Em uma linguagem atropelada, porém perfeitamente clara, um dos seres lhe disse que a figura central era “Alamo” e a sétima “Orque”, este último o local de onde vinham. Isto fez com que alguns pesquisadores pensassem que seu lugar de origem fosse o planeta Urano. Em seguida, os extraterrestres subiram na nave e partiram.
O pesquisador do caso, Gordon Greighton, analisando a aparência do objeto, comentou que este possuia bastante similaridade com o artefato visto na Ilha de Trindade, em janeiro de 1958. Em ambos, a nave era envolta por um anel em seu equador, a típica forma “Saturno”.
Outro relato que contém nave semelhante encontra-se no Caso Montequinto, ocorrido também no ano de 1947. O informante, um médico do Exército de Terra Espanhol, estava estudando num local conhecido por Barriada de Montequinto. Ouviu um ruído agudo observando em seguida um objeto esférico circundado por um anel. Tinha aparência metálica e girava no sentido anti-horário. Sem dúvida, uma descrição bem semelhante à de Higgins e à da Ilha de Trindade.
Seja o que foi que aconteceu naquele dia, o mistério perdura até os dias de hoje num dos casos de contato extraterrestre mais antigos da Ufologia Moderna brasileira.

Viajantes Do Tempo



"O Tempo. Desde as mais remotas civilizações essa grandeza gera um fascinio mágico nas pessoas, principalmente naquelas que estudam os fenômenos do universo. Aristótenes, Galileu Galilei, Newton e Albert Einstein.
Mas poderia o homem viajar no tempo? Poderia se deslocar tanto para o passado como para o futuro? Seria isso possível? Será que em outra época distante já foi inventado um equipamento que permita realizar essa façanha?"

se arrisca a continuar lendo?







Segundo John Titor, isso já aconteceu!















Em novembro de 2000, alguém muito misterioso repentinamente participou de um grupo de discussão na Internet, autodenominando-se VIAJANTE-ZERO e se declarando um viajante do tempo proveniente do ano 2036!Mais tarde identificando-se com o nome de JOHN TITOR, é claro que foi alvo de muitas críticas e de total descrédito.

Talvez aborrecido com as gozações e para provar que estava falando a verdade, o tal "Viajante-Zero" postou uma série de intrincados diagramas, manuais, esquemas técnicos (foto) e até mesmo algumas fotografias que decididamente não poderiam ter se tratado de uma simples brincadeira.


Define-se por "WORMHOLE" uma hipotética estrutura do espaço-tempo com a aparência de um túnel, daí o seu nome, conectando pontos que se acham separados no espaço e no próprio tempo. Essa é uma tecnologia que HOJE vem sendo secretamente desenvolvida pelos cientistas e pelos físicos de vanguarda, notadamente nos EUA, de modo a possibilitar a criação a ativação prática de verdadeiros "Stargates" que possibilitariam as viagens através dos intrincados meandros tempo, tanto para o passado quanto para o futuro.
Desde muito tempo atrás, o famoso cientista e físico Albert Einstein já explanava teorias com essa maravilhosa possibilidade. Porém, conforme visto na imagem anterior, aquilo que o tal John Titor colocou na internet serviu para calar as bocas dos incrédulos.
ERA NADA MENOS QUE A DIAGRAMAÇÃO TÉCNICA DE UM WORMHOLE, ANTES MESMO DE OS NOSSOS CIENTISTAS O DESCOBRIREM!







John Titor, ou seja lá qual tenha sido o seu verdadeiro nome, revelou que a sua unidade, ou vetor para viajar no tempo era denominada C204, utilizando quatro relógios de CÉSIO.
Já um outro tipo, segundo ele, a C206, utilizaria 6 dessas unidades de Césio acopladas a um sistema óptico para checar as oscilações de freqüência. Tudo isso destinado a tornar mais confiáveis os acessos ao que chamava de "linhas mundiais de tempo".











Desenho Estrutural de um dos componentes da Máquina do Tempo de John Titor



O tal C204 será, segundo ele, fabricado no futuro pela GE (General Electric), sendo utilizado pelo Exército Americano, conforme pode ser lido no esquema acima que apresentou na Net, denominado "Descrição Principal dos Sistemas".







Acima está o "Army Model C204 - Dispositivo de Distorção de Gravidade e Deslocamento no Tempo", praticamente o "cérebro" do sistema usado na máquina temporal de John Titor.










Em Março de 2001, o tal Viajante-Zero, que por sinal nunca mostrou seu rosto ou sequer revelou de onde exatamente mandava as suas mensagens e também as suas espantosamente precisas e muito técnicas ilustrações, anunciou que deixaria o nosso tempo e retornaria ao ano 2036.
Logo depois disso, de fato simplesmente "sumiu do mapa" e nunca mais se ouviu falar dele.
O assunto foi levado muito a sério, uma vez que até hoje existem investigações oficiais secretas, como também inúmeras especulações leigas sobre ele!










Insignia da Equipe de Viajantes do Tempo, comentado por John Titor






Titor, antes da sua partida, divulgou ainda a insígnia da sua equipe de viajantes, ou quem sabe da sua expedição militar (acima). Quando indagado sobre as razões e os motivos das suas viagens revelou que elas eram destinadas a colher informações ou CERTOS ÍTENS QUE SERIAM NECESSÁRIOS NO ANO 2036. Revelou ainda que efetuou várias missões desse tipo entre os anos de 1960 e 1980.









Computador IBM Modêlo 5100 levado por John Titor






Mais tarde, declarou que já em 1975 fora enviado em uma outra antiga missão para se apropriar de um computador IBM chamado 5100 (modelo visto na foto acima e tendo ao lado o seu processador), pelo fato de ter sido um dos primeiros computadores portáteis e que seria o único no seu futuro a "ler" velhas linguagens de programação IBM, perdidas com o tempo.
Algo que fazia sentido, pois logicamente lhe perguntaram sobre o que iria acontecer no NOSSO imediato futuro.
E sem errar qualquer uma das suas previsões, inclusive o atentado ao World Trade Center que viria a ocorrer em 11 de setembro de 2001, revelou que uma guerra nuclear será deflagrada em 2015, matando perto de 3 bilhões de pessoas!
E dizem que a IBM quando consultada, realmente deu por falta de uma dessas unidades que estavam desativadas e guardadas nos seus depósitos como relíquias do passado da Empresa e da Era da Informática.
Mas, dando razão a John Titor, a verdadeira razão da IBM em preservar o 5100 não era exatamente essa.









Computador IBM 5100






Depois das revelações de John Titor, um alto funcionário da IBM ao ser consultado revelou que o 5100 era, de fato, dotado de uma rara interface entre sua codificação e o emulador, a qual permitiria a qualquer programador acessar TODOS os códigos da IBM, tendo sido justamente por esse motivo tal função suprimida por medo da concorrência e também da espionagem industrial.
Além dessa estranha missão, John Titor (por razões de segurança obviamente deve ter se tratado de um nome fictício, uma vez que se revelasse o seu verdadeiro nome poderia ser capturado, ou interceptado, AGORA na nossa época, quando criança) jamais revelou o que viera fazer (ou buscar) naquela sua então mais recente missão ao ano 2001.


John Titor nunca mais foi visto desde então.


Outro fato intrigante aconteceu em Nova York:


Investigadores federais prenderam um enigmático aplicador de Wall Street acusado de ter acesso a informações internas e privilegiadas. E por incrível que pareça, na época em que foi preso, alegou ser um viajante do tempo do ano 2256!


Fontes da Comissão de Segurança confirmam que Andrew Carlssin, de 44 anos, ofereceu esta bizarra explicação para seu incrível sucesso no mercado de ações, após ser levado algemado em 28 de janeiro.
"Não acreditamos na história desse cara - ou ele é um lunático ou um mentiroso patológico", disse um membro da Comissão.


"Mas o fato é que, com um investimento inicial de apenas 800 dólares, em duas semanas ele tinha um portfólio avaliado em 350 milhões de dólares.
Toda transação que ele fez deu lucros, mesmo sendo em áreas inesperadas dos negócios, o que não pode ser simplesmente sorte. Ele só pode ter conseguido através de informações internas ilegais.
Ele vai ficar sentado em uma cela na Ilha Riker até concordar em divulgar suas fontes".
Quando investigadores pressionaram Carlssin durante o interrogatório, foram surpreendidos por uma confissão que durou quatro horas.
Carlssin declarou que viajou de volta no tempo a partir de 200 anos no futuro e que seu conhecimento de nossa época lhe permitiu acumular a fortuna que obteve.


"Era tentador demais para resistir", teria dito Carlssin durante a confissão, que foi gravada em videotape.
Para provar que estava falando a verdade, Carlssin se ofereceu para falar sobre "fatos históricos" como a cura da AIDS e o real esconderijo de Osama Bin Laden.
Tudo o que ele quer é que permitam que volte ao futuro em sua "nave temporal".
Mas ele se recusa a revelar a localização da máquina ou falar como ela funciona, supostamente com medo de que a tecnologia "caia em mãos erradas".
O mais intrigante é que os agentes ainda não encontraram nenhum registro existente sobre qualquer Andrew Carlssin antes de dezembro de 2002.


Dos anos 90 para 1941:


Observem a foto abaixo:















Essa foto foi tirada na reabertura da ponte Fork South Bridge após inundação em novembro de 1940 no Canadá.


Nota-se algo estranho? Observem o rapaz denotado na foto!


Ele está vestindo um tipo de moletom com uma camiseta com um "M". Nitidamente é a única roupa diferente com relação às outras pessoas que estão assistindo o evento.
Trata-se aparentemente de uma roupa típica dos anos 1990 ou 2000, sem dúvida. Em 1941 não existia esse tipo de vestimento.



Outro ponto interessante são seus óculos. Esse é um modelo esportivo que não era fabricado na época.


Agora, algo marcante: A máquina fotográfica.


Ampliando-se com zoom, nota-se que é um modelo moderno com Teleobjetiva. Esse modelo também não é da época.







Detalhe da Câmera Fotográfica
Muito moderna para o ano de 1940







Seria o rapaz da foto um viajante do futuro que voltou ao passado e estava no local?


É interessante observar que analisando-se a foto, não existem indícios de que a mesma tenha sido forjada, parecendo uma imagem original.






É interessante comentar que o site onde está hospedada a foto não tem motivos para publicar uma foto falsificada.


Seria essa então mais uma prova da existência dos viajantes do tempo?


Existiria realmente no futuro máquinas do tempo capazes de transportar pessoas, tanto para o futuro como para o passado?
Talvez isso possa explicar muitos acontecimentos estranhos que ocorrem em nossa época. Estaríamos preparados para encontrar os visitantes do tempo?



Temos que estar preparados, pois no nosso dia a dia talvez cruzemos e esbarremos em alguém que ainda não nasceu, ou que talvez já tenha morrido muito tempo atrás, mas que em sua época foi transportado para os nossos dias, fazendo pesquisas, estudando a nossa sociedade e modo de vida para levar informações em um tempo distante que nós nem podemos imaginar

Arte com fumaça em garrafas recicladas

  • Uma arte diferente, mas que tem um resultado surpreendente

O artista americano Jim Dingilian desenvolveu uma arte belíssima, ele recicla garrafas de vidro encontradas em estradas, ruas e no lixo, transformando-as em belas garrafas recicladas com imagens decorativas.

O artista desenha dentro das garrafas de vidro descartadas, criando paisagens e cenas do subúrbio.

Um processo interessante, onde Jim Dingilian recolhe a garrafa de vidro e coloca em seu interior fumaça, um tipo de fuligem de velas.


Depois de colocar uma camada de fuligem no revestimento das garrafas, ele passa a garrafa por um processo delicado e meticuloso. Para então, retratar as paisagens à mão.

Para Jim, as garrafas recicladas encontradas em lixos e estradas foram artefatos de consumo, prazer ou temor.


Agora, o interior da garrafa recebe uma nova narrativa, preenchida com desenhos, cenas e lembranças, criando um belo objeto de arte.

Não entendi direito esse processo, mas o nteressante é o resultado que ficou impressionante. Parabéns ao artista.






Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird X

gibson guitar employee firebird x 460 100 460 70 150x150 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird XA última guitarra da Gibson, Firebird X traz à tona um design clássico para o século 21, com captadores Piezo, Bluetooth, efeitos embutidos e até aplicativos para baixar.

Conheça tecnologia da guitarra Firebird X

Em meados de 2007 a Gibson lançou sua primeira guitarra “robô”, contando com afinadores motorizados que podiam rapidamente afinar o instrumento sem muita intervenção humana – e até mesmo trocar entre afinações comuns rapidamente. Agora, a Gibson lança a Firebird X, a última guitarra de sua série de instrumentos de alta tecnologia. E a fabricante colocou tudo que se pode imaginar nessa guitarra: três mini-humbuckers, um captador Piezo na ponte, captador proprietário da Gibson do tipo “hex” com saída individual para cada corda, tecnologia de afinação robotizada de quarta geração e uma gama de efeitos embutidos que permitem ao usuário modificar radicalmente o som da guitarra, de forma rápida, sem precisar de vários pedais na sua frente.
ee3e1145 e6a5 49e8 abb4 4730fb7d5924 e1328642308984 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird X
A guitarra conta ainda com sistema Bluetooth que se comunica com uma prancha de pedais personalizada e aplicativos. A Gibson irá lançar sua própria loja de aplicativos online onde o usuário poderá baixar aplicativos para modificar o motor de processamento de áudio “Pure Analog” proprietário da Gibson para algo totalmente novo.
Segundo Henry Juszkiewicz, “A Gibson Firebird X é verdadeiramente a guitarra de maior tecnologia avançada já concebida”. A inovação sempre foi o foco da Gibson e esta guitarra de fato é muito inovadora.
Antes de tudo, para os guitarristas: a Firebird sempre pareceu uma guitarra legal, mas nunca foi uma guitarra ergonômica e seus três mini-humbuckers e combinaçãos de chaves pareciam mais “uma solução procurando por um problema” do que um sistema confiável, clássico e útil. Mas a Firebird tem seus méritos e seus fãs, com isso a Gibson tentou resolver a maioria dos problemas nesse instrumento.

Um pouco sobre o projeto da Firebird X

A guitarra é extremamente leve, com seu corpo feito em Ash do pântano, pesando apenas 2,7kg. O instrumento possui a mão em forma de “C”, assimétrico, com a parte de trás do corpo com acabamento anti-escorregadio. O braço da guitarra em maple polido, de forma curvada, possui marcação em ébano. A Gibson também melhorou os mini-humbuckers, deixando-os com pré-amplificação de nível de estúdios profissionais, com acesso a modos single e double-coil. A Firebird X também conta com um captador Piezo na ponte, similar aos sistemas de captação usados em guitarras acústicas e por isso a Gibson afirma que a paleta acústica da Firebird X é quase que indistinguível comparado a saída elétrica em suas guitarras J45. Como se não fosse muito, ela ainda possui um robô-afinador mais rápido e leve que seus antecessores, com capacidade de afinar em vários padrões de afinação conhecidos, fazendo isso rapidamente em várias cordas aos mesmo tempo.
giibson firebird x e1328642372138 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird X
O topo da guitarra conta com algumas chaves inseridas em seletores rotativos para permitirem ao guitarrista mudar entre efeitos embutidos na guitarra. A Gibson promete que esses efeitos são de nível profissional, incluindo múltiplas modificações, delay, efeitos reverb e um looper de 10 segundos. Há também uma entrada para microfone que permite gerenciar processamento DSP em tempo real – há também 6 botões deslizantes no topo do corpo da guitarra para ajustar os efeitos e equalizar ao gosto do usuário, em tempo real.
gibson firebird x e1328642429374 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird X

Acessórios para a Firebird X

firebirdx bluetooth pedals 150x150 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird XA Gibson também está lançando alguns acessórios junto com a Firebird X, incluindo um case rígido que a fabricante garante ser muito resistente. Para ser mais específico, eles dizem que a guitarra poderia cair de uma altura de 1,80m, sem sofrer danos enquanto estiver protegida pelo case. Resta saber se alguém em sã consciência iria fazer isso.
Há também uma prancha de pedais sem fio, com conexão Bluetooth, que permite o usuário transferir patchs do computador, usando um software proprietário da Gibson e outros de terceiros. Os pedais e a guitarra usam a mesma bateria e segundo à Gibson, o conjunto pode durar até 2 horas seguidas ligado. A troca da bateria é rápida e até mesmo bateria de câmeras filmadoras pode ser utilizada, porém, isso pode ser um grande inconveniente para quem toca ao vivo.

Preços da guitarra Gibson Firebird X

O preço sugerido pela guitarra? Apenas $5,570 ou quase R$10.000 (sem impostos). O que explica este preço, além dos recursos que a guitarra dispõe e tudo que está “incluso no pacote” é talvez o perfil do instrumento, pois sua fabricação limitada em 1.800 unidades com certeza atrairá colecionadores. Isto significa também que não haverá muito incentivo por parte de desenvolvedores para trazer novos recursos e modificações para esta guitarra, devido a audiência ser tão pequena.
gibson firebird x3 e1328642472628 Gibson aposta em tecnologia com sua nova guitarra Firebird X
Veja mais fotos da Gibson Firebird X na galeria. E você, o que achou da nova Firebird X? Comente, queremos saber sua opinião!

Japoneses vão construir Elevador Espacial até 2050

22022012_3 A última vez que tentaram falar deste assunto a NASA havia dado um prêmio de US $ 900.000 para um (robô) carro movido a laser minúsculo que conseguiu subir em um cabo de quilômetros de comprimento. A Empresa Obayashi Corporation não acha que a NASA está se movendo rápido o bastante para conseguir grandes progressos nesta área, por isso a empresa decidiu construir um elevador espacial próprio até em 2050.
Empresa japonesa diz que vai ter um elevador espacial em 2050
space_elev_concept.jpg
30 passageiros de uma só vez lotariam o veiculo de transporte que subiria pelo elevador a 125 quilômetros por hora. Parece um pouco rápido, mas a viagem ainda levaria cerca de oito dias. Ainda assim, ao imaginar a vista eu não posso acreditar que alguém se importaria em olhar para fora das janelas por uma semana e sentir o seu peso diminuir gradualmente a nada. O terminal em si poderia abrigar alojamentos e laboratórios e pesquisas poderiam evoluir nestes laboratórios.

Revista Sexy Especial :: Mari Lopes Mari Lopes  nua na Revista Sexy Especial de abril. A musa do Flamengo nos mostra como é fácil ...